Fonte: OpenWeather

    SUBNOTIFICAÇÃO


    FVS alerta para subnotificação de casos de LER/DORT no Amazonas

    Casos de Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e de Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT) tiveram poucos registros em 2020, o que pode ser sinal de subnotificação

    Cinthia Santos, coordenadora do Cerest/FVS-AM) | Foto: Girlene Medeiros/FVS-AM

    Manaus - A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) alerta para a subnotificação de casos de Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e de Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT) no Amazonas. A síndrome LER/DORT representa um conjunto de doenças que atingem o sistema musculoesquelético, causando danos do uso excessivo do corpo, desencadeados ou agravadas por fatores presentes nos locais de trabalho.

    De 2004 a 2018, foram registrados apenas 1.777 casos de LER/DORT no Amazonas. O indicador anual de registro nos últimos dois anos foi reduzindo: em 2019, foram 114 notificações de LER/DORT. Já em 2020, no contexto da pandemia de covid-19, foram notificados apenas 27 casos das doenças no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), do Ministério da Saúde. “Esses indicadores não retratam a realidade da doença nos trabalhadores do Amazonas e, com a chegada da pandemia, percebeu-se uma subnotificação ainda mais evidente”, destaca o diretor-presidente da FVS-AM, Cristiano Fernandes.

    A coordenadora do Centro de Referência Estadual de Saúde do Trabalhador (Cerest) da FVS-AM, Cinthia Santos, aponta que um dos obstáculos para registrar a ocorrência dos casos no estado é a falta de informação sobre as doenças para o empregador e empregado. “Há, por um lado, a falta de investimento de empresários e, por outro, o medo da represália do trabalhador, que oculta a dor até que essa agrave, desencadeando em incapacidade laboral”, disse.

    O diagnóstico de LER/DORT é realizado por meio de exame clínico e de imagem, solicitados por profissionais de medicina do trabalho e de especialidades clínicas em geral, que devem estar atentos à rotina de trabalhadores, que podem estar submetidos a condições que favoreçam a ocorrência ou agravamento da síndrome.

    LER/DORT

    Os empecilhos para notificação de casos impactam no desafio de realizar a prevenção à LER/DORT, que afeta músculos, nervos e tendões, em maioria, de membros superiores, atingindo mais mulheres. Entre os sintomas mais comuns estão a dor, o cansaço; sensação de peso e dormência na estrutura atingida.

    As doenças LER/DORT são classificadas como enfermidades que podem causar incapacidade, provocando afastamento do trabalho, devido à alteração da capacidade funcional e do desempenho do trabalhador na produtividade. Entre as principais LER/DORT estão: tendinite, tenossinovite, bursite, epicondilite, síndrome do túnel do carpo, dedo em gatilho, síndrome do desfiladeiro torácico, síndrome do pronador redondo e mialgias.

    Prevenção

    Neste domingo (28), é celebrado o Dia Internacional de Prevenção às LER/DORT. A data foi instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com o intuito de alertar a sociedade e chamar a atenção a respeito da necessidade de adotar cuidados e medidas preventivas contra as lesões associadas à repetição de movimentos.

    Entre as dicas de prevenção estão: manter postura apropriada durante horário de trabalho; fazer alongamentos periodicamente; fazer pausas durante o labor; criar bom ambiente de trabalho, respeitando os limites de cada indivíduo; buscar estilo de vida adequado com qualidade de sono, alimentação, condicionamento físico e manutenção da saúde em geral.

    Referência

    A FVS-AM é responsável pela Vigilância em Saúde do Amazonas, que inclui a prevenção a doenças, como as desencadeadas e/ou agravadas no ambiente de trabalho, por meio do Centro de Referência Estadual de Saúde do Trabalhador (Cerest). A FVS-AM funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio, Manaus. Os números para contato são (92) 3182-8550 e 3182-8551.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Governo do AM se movimenta para comprar vacinas por contra própria

    Wilson Lima reforça importância de vacinação em Boca do Acre