Fonte: OpenWeather

    Pandemia


    Posto de Coleta de Leite Humano da Moura Tapajóz pede doações

    Maternidade está com estoque crítico de leite e pede doações

    O Posto de Coleta de Leite Humano da MMT funciona 24 horas | Foto: Divulgação

    MANAUS - O Posto de Coleta de Leite Humano da Maternidade Dr. Moura Tapajóz (MMT), da Prefeitura de Manaus, também conhecido como “Cantinho da Amamentação”, está com estoque crítico de leite e pede doações. A baixa adesão em razão da pandemia de Covid-19 é mais um impacto da crise sanitária no sistema de saúde, já que cada 300 mililitros (ml) de leite sustentam, em média, um recém-nascido por dia.

    “O ato de doação pode salvar vidas, então, neste momento, precisamos destacar que a doação de leite é segura tanto para a doadora, que pode fazer a coleta de leite em sua própria casa com todos os procedimentos de segurança, quanto para os bebês que recebem, pois o processo de pasteurização do alimento inativa microrganismos patogênicos (causadores de doenças), inclusive o coronavírus”, afirmou a diretora da MMT, Núbia Cruz.

    Nos meses de janeiro e fevereiro de 2020, foram coletados 89.670 ml de leite. Em 2021, no mesmo período, esse número foi de 42.210 ml, uma queda de aproximadamente 53% em relação ao ano anterior. No total, em 2020, mesmo com a interrupção da coleta nos meses de março e abril por conta das incertezas do início da pandemia, o Cantinho da Amamentação coletou 429.773 ml de leite ao longo de todo o ano. Desses, 95.480 ml foram coletados no domicílio da doadora e 122 casas foram visitadas para coleta.

    O Posto de Coleta de Leite Humano da MMT funciona 24 horas e dá apoio às puérperas e mulheres que estão amamentando, com coleta domiciliar de leite das mães doadoras e consultas individuais de orientação sobre amamentação. O posto dispõe, ainda, de carro e de uma equipe composta de motorista e técnico de enfermagem, exclusivamente para coleta de leite no domicílio das mães doadoras, buscando os vidros cheios e substituindo por vidros esterilizados.

    A coleta domiciliar pode ser feita por meio de agendamento pelo telefone (92) 99466-0510 ou a doação pode ser feita na própria maternidade, localizada na avenida Brasil, n° 1.335, bairro Compensa I, zona Oeste, de segunda a segunda, no horário das 8h às 18h.

    Todas as mães que têm excedente de leite materno podem doar ao Cantinho da Amamentação da Moura Tapajóz, inclusive aquelas que não tiveram seus filhos na MMT.

    “Recebemos doações tanto internas, de mães de bebês que ainda estão na maternidade, quanto das mães que estão com os filhos em casa e têm leite excedente. E é importante destacar que o leite materno é o melhor alimento que existe e ajuda a salvar vidas. Muitos bebês prematuros e recém-nascidos internados na Unidade de Terapia Intensiva, a UTI, e na Unidade de Cuidados Intensivos, a UCI, de baixo peso, e aqueles que, por algum motivo, não podem ser alimentados diretamente no seio da mãe dependem dessas doações para sobreviver”, destacou a pediatra e neonatologista da MMT Briza Rego Rocha.

    A enfermeira Lílian Regina Aguiar de Carvalho, responsável pelo Cantinho da Amamentação, destaca que até lactantes positivas para Covid-19, mas que estejam em bom estado geral e mantendo cuidados adequados de higiene, devem continuar amamentando. “Orientamos o uso de máscara e a lavagem de toda a área do colo até o pescoço com água e sabão antes da amamentação. Mas evitem o uso de álcool nessa área, para não provocar ressecamento da pele”, acrescentou.

    Vidros

    Para coleta do leite, a maternidade necessita, normalmente, de cerca de 800 frascos por mês, que são utilizados na coleta, pasteurização e distribuição do leite doado. A maternidade informa que também aceita doação dos frascos do tipo indicado para continuar ajudando os bebês prematuros e recém-nascidos internados na UTI/UCI, que recebem o leite humano doado.

    “Os frascos devem ser de vidro com tampas de plástico rosqueável, como os recipientes de café solúvel ou de maionese, pois não acumulam cheiro nem resíduos, são esterilizáveis e fáceis de limpar e resistentes ao processo de congelamento e descongelamento. A tampa deve ser plástica, pois a de metal com o tempo enferruja e solta verniz”, explicou a enfermeira Lílian Aguiar.

    *Com informações da assessoria