Fonte: OpenWeather

    Fiscalização


    Balneários e flutuante descumprem decreto e são fechados no Amazonas

    No total, quatro estabelecimentos foram fechados e autuados pelos órgãos fiscalizadores

     

    Coordenada pela SSP-AM, a CIF vistoria e orienta estabelecimentos na capital quanto ao decreto governamental
    Coordenada pela SSP-AM, a CIF vistoria e orienta estabelecimentos na capital quanto ao decreto governamental | Foto: Divulgação

    Manaus - Três balneários e um flutuante foram fechados na tarde deste domingo (4) durante mais uma ação da Central Integrada de Fiscalização (CIF).

    Três dos nove locais vistoriados durante a CIF fluvial receberam orientações por parte dos agentes. Os quatro estabelecimentos fechados também foram autuados pelos órgãos fiscalizadores.

    Na Praia da Lua, a barraca Valdemar Marques, o restaurante da Vovó Helena e a barraca da Loura foram fechados e autuados pela Vigilância Sanitária Municipal (Visa Manaus).

    O flutuante SUP Amazonas também foi fechado, sendo notificado pela Marinha do Brasil. Nas quatro situações, os agentes encontraram aglomerações, presença de banhistas e atendimento em mesas.

    Responsável pela CIF fluvial deste domingo, o major Alisson Botelho reforçou os canais de comunicação por meio dos quais a população pode fazer denúncias.

    “O nosso 190, que é o principal telefone de contato para passar essas informações, como também através do e-mail, em Manaus, para a Visa. O e-mail é [email protected]”, enfatizou o major.

    Coordenada pela SSP-AM, a CIF vistoria e orienta estabelecimentos na capital quanto ao decreto governamental. Participaram da CIF fluvial deste domingo as polícias Militar e Civil, Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), Visa Manaus e Marinha do Brasil.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Governo do Amazonas recebe 98.500 doses de vacina contra a Covid-19

    Covid-19: variante Eek é causa da maioria de casos em hospital japonês

    Manaus começa a vacinar pessoas de 50 a 54 anos com comorbidades