Fonte: OpenWeather

    Imunização


    Covid-19: AM terá que aplicar sobras de vacinas em grupos prioritários

    Ação de Marcelo Ramos obriga órgãos públicos a distribuir as doses dos ausentes entre grupos prioritários, evitando que sejam inutilizadas

     

    | Foto: Divulgação/Secom

    A Justiça Federal determinou que o governo do Amazonas e as prefeituras do estado apliquem em grupos prioritários as sobras de vacinas contra covid-19.  

    Pelo despacho da juíza Jaiza Fraxe, da 1ª Vara Federal, as Secretarias de saúde do estado e dos municípios amazonenses têm um prazo de 48 horas para apresentar um plano de distribuição de controle mais eficaz do prazo de validade das doses de vacinas contra o coronavírus

    A decisão atende ação pública apresentada pelo vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM) , Ministérios Públicos do Amazonas, de Contas e defensorias públicas.

     

    Diante das denúncias que recebeu de que muitas doses estariam com prazo de validade próxima à espera dos ausentes, Marcelo Ramos entrou com uma petição para que estes imunizantes sejam aplicados entre os grupos prioritários antes de perder validade.

    “Vivemos atualmente a maior crise sanitária da história da humanidade. E enfrentamos um déficit na produção de vacinas que impossibilita que milhares de amazonenses sejam imunizados. Portanto, chega a ser uma aberração nós termos a vacina no nosso estado e deixarmos de usar as vacinas que estão muito próximas de vencer”, afirmou Marcelo Ramos.

     

     

    | Foto: Divulgação

    Segundo o deputado, é crescente o número de pessoas, tanto na capital como no interior, que não estariam às unidades de saúde no estado para se vacinar. Informações que ele recebeu dão conta de que, em razão disso, muitas doses de imunizantes já começam a perder a validade. O Amazonas é o estado com maior número de absenteísmo no país, respondendo por com 30% dos brasileiros que deixaram de tomar a segunda do imunizante contra a Covid.   

    Pelo despacho da juíza Jaiza Fraxe, da 1ª Vara Federal, as Secretarias de saúde do estado e dos municípios amazonenses têm um prazo de 48 horas para apresentar um plano de distribuição de controle mais eficaz do prazo de validade das doses de vacinas contra o coronavírus.

    Leia mais:

    Marcelo Ramos coloca mandato à disposição do parlamento municipal

    Deixemos a política em quarentena

    Marcelo Ramos questiona queda no índice de vacinação no Amazonas