Fonte: OpenWeather

    Fome


    ONG global promove campanha emergencial contra a fome no AM

    A fome atinge cerca de 10,3 milhões de pessoas, e cerca de 4,7 milhões de crianças e adolescentes

    A mobilização foi lançada para reforçar o acolhimento de crianças e adolescentes nas 53 Casas Lares de norte a sul do país | Foto: Divulgação/ Aldeias Infantis SOS Brasil

    MANAUS - O cenário de fome no Brasil se agravou com a pandemia. A necessidade de aderir ao lockdown para conter a disseminação do vírus aumentou o número de desempregados no país. A diminuição do auxílio emergencial acentuou ainda mais a crise socioeconômica. Segundo levantamento do Datafolha, 46% dos brasileiros alegam queda de renda familiar no último ano. A fome atinge cerca de 10,3 milhões de pessoas, e cerca de 4,7 milhões de crianças e adolescentes estão em situações de extrema vulnerabilidade e sequer têm condições de se alimentarem diariamente, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    Para atenuar esses efeitos, organizações sociais redobram esforços para suprir as necessidades básicas da população. Campanhas nacionais de arrecadação foram levantadas para viabilizar a conscientização e obter doações físicas e online. Uma delas é a #SOSCriançasSemFome, da Aldeias Infantis SOS Brasil, maior organização humanitária no mundo em atendimento direto à criança. A mobilização foi lançada para reforçar o acolhimento de crianças e adolescentes nas 53 Casas Lares de norte a sul do país, além do apoio às mais de 1.840 mil famílias que já são atendidas, incluindo as venezuelanas em situação de refúgio no Brasil.

    “Além dos efeitos imediatos como a desnutrição, em uma fase crucial para o crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes, seus pais e familiares, sem ter o que comer, se veem forçados a deixá-los sozinhos e expostos para buscar novas fontes de renda e de alimento”, explica Edmond Sakai - Diretor de Relações Institucionais, Marketing e Comunicação da Aldeias Infantis SOS Brasil.

    “Nosso objetivo é reduzir a fome e prevenir a perda do cuidado parental. A alimentação é um direito básico e estamos lutando para que nenhuma criança tenha que crescer sozinha”, completa. A Campanha #SOSCriançasSemFome vai distribuir cartões alimentação no valor de R$ 300 e kits de higiene e de prevenção contra a Covid-19, durante quatro meses, para famílias em situação de extrema vulnerabilidade social que estão cadastradas nos mais de 70 projetos da Organização no país. A duração da ação tem como objetivo promover um apoio contínuo, a fim de obter melhores resultados para essas famílias a longo prazo.

    “Queremos garantir que esses pais, mães e responsáveis não se exponham, tendo que sair muitas vezes de casa atrás de cestas básicas em diferentes locais, e assim suprirem a necessidade familiar no mês. O cartão alimentação, além de ter um valor um pouco maior do que a maioria das cestas básicas, também devolve a dignidade e autonomia às famílias que podem escolher o que precisam ou querem comprar e, consequentemente incentivam a economia local”, completa Sakai. A previsão é que mais de 5 mil crianças e jovens sejam atendidos por essa movimentação emergencial.

    *Com informações da assessoria