Fonte: OpenWeather

    Desabamento


    Em Manaus, obra onde pedreiros morreram soterrados estava irregular

    Construção estava com o alvará vencido desde dezembro de 2020

     

    | Foto: Ayrton Sena

    Manaus - A obra em em que dois pedreiros morreram soterrados, na manhã dessa segunda-feira (26), estava com o alvará vencido desde dezembro de 2020, de acordo o  Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb).

    Os pedreiros foram soterrados após um muro desabar devido a forte chuva, na rua Álvares Azevedo, conjunto Aruanã, Zona Oeste. 

    Segundo o Implurb, órgão responsável pelo setor da construção civil da Prefeitura de Manaus, a obra obteve alvará de construção no ano de 2019.  Entretanto, em dezembro, foi notificada e embargada pelo Implurb, para providenciar a renovação de alvará. No dia seguinte, o proprietário foi informado novamente da necessidade de renovação da licença da obra no prazo de 20 dias. 

    Em nota, o órgão ainda afirmou que recomendou que as obras permanecessem paralisadas. 

    "O Implurb ressalta que o proprietário foi notificado a manter a construção paralisada (embargada) até a regularização e emissão da respectiva renovação de alvará de construção. Assim, a construção, se estava sendo realizada, estava irregular, sendo de total responsabilidade do seu proprietário e do responsável técnico", finalizou.

     

    Leia mais: 

    Vídeo: muro desaba e mata pedreiros soterrados durante chuva em Manaus

    Deslizamento deixa trabalhador soterrado na avenida Rodrigo Otávio

    Funcionário de obra na avenida Torquato Tapajós é soterrado