Fonte: OpenWeather

    Amazonas


    Projeto em Manaus prevê captura, esterilização e marcação de animais

    De acordo com o deputado João Luiz, o protocolo trata da captura de cães e gatos para fins de controle populacional

     

    Deputado João Luiz quer interferir no aumento da população de animais de rua
    Deputado João Luiz quer interferir no aumento da população de animais de rua | Foto: Mauro Smith

    Manaus (AM) - A população de cães e gatos sem lares definidos que vivem à solta pelas ruas de Manaus aumenta cada vez mais. Para isso, nesta quarta-feira (28), o deputado estadual João Luiz (Republicanos) ratificou o compromisso com a causa animal ao apresentar e defender o projeto de lei nº 156/2021, de sua autoria, que autoriza médicos veterinários a realizarem o protocolo de Captura, Esterilização e Devolução (CED) com marcação na ponta da orelha esquerda para identificação de animais de rua.

    Captura de animais


    De acordo com João Luiz, o protocolo CED trata da captura de cães e gatos para fins de controle populacional e, durante a esterilização, aproveita-se a sedação do animal para realizar a marcação com um pequeno corte na ponta da orelha esquerda para identificação e posterior devolução ao respectivo território. 

    "

    O animal não será submetido a nenhuma situação de risco ou de dor. Os médicos veterinários, devidamente registrados no Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV), irão aproveitar a sedação aplicada na castração para realizar a marcação. Desta forma, os animais castrados serão identificados, evitando que, em uma possível reincidência de captura, seja submetido a uma nova, e desnecessária, cirurgia de esterilização”, justificou o parlamentar. "

    João Luiz, Deputado Estadual

     

    João Luiz afirmou que, como membro da Comissão de Meio Ambiente, Proteção aos Animais e Desenvolvimento Sustentável da Aleam, confeccionou o PL dentro dos interesses e prerrogativas com base no artigo 230 da Constituição do Estado do Amazonas e artigo 27 do Regimento Interno. 

    Protocolo CED

    A prática do protocolo CED já é consolidada e famosa em outros países — como os Estados Unidos e o Canadá — e chegou timidamente ao Brasil, ganhando, pouco a pouco, mais adesão.

    Entre as vantagens do protocolo CED está a redução da população de gatos e cães de vida livre; diminuição de abrigos e eutanásias; controle da raiva, isso porque, em regiões onde há ocorrência da raiva, a vacinação faz parte do protocolo CED; e a capacidade de mobilizar voluntários, atraindo um grande número de pessoas se preocupa com o bem-estar dos animais de rua.

    Leia mais:

    Especialistas são contra produção veterinária de vacinas para Covid-19

    Senador Omar Aziz é eleito presidente da CPI da Covid

    Pacheco apresenta a ministro da Saúde projetos para vacinação