Fonte: OpenWeather

    Cheia histórica


    Em Manaus, Rio Negro pode atingir cota de inundação severa em 3 dias

    A cota de inundação severa é de 29 metros. Atualmente, o Rio Negro está medindo 28,92m

     

     

    | Foto: Bianca Fatim

    Manaus - O Rio Negro pode chegar a 29 metros até o próximo final de semana, 1º e 2 de maio, e atingir a cota máxima de inundação severa no Porto de Manaus, em 2021. A previsão é do engenheiro civil Valderino Pereira, de 72 anos, responsável por medir o nível do Rio Negro. A probabilidade é de que esteja em curso uma cheia tão grande quanto a de 2012.

    Conhecido como "Príncipe dos Rios", Valderino trabalha há mais de 35 anos fazendo a medição do Rio Negro, e acredita que, com base nos dados que estão sendo coletados, a chance de atingir a cota de inundação severa é grande. 

    “Eu acredito que, por esses dias, o Rio Negro pode até chegar a 29 metros. De acordo com os dados que coletamos e em comparação a outros anos, é possível que chegue a cota de 29m, ou até ultrapasse”, afirma o responsável pela medição.

     

     

    Conhecido como 'Príncipe dos Rios', Valderino trabalha há mais de 35 anos fazendo a medição do Rio Negro.
    Conhecido como 'Príncipe dos Rios', Valderino trabalha há mais de 35 anos fazendo a medição do Rio Negro. | Foto: Bianca Fatim

    O engenheiro fez a afirmação na última terça (27), durante entrevista ao Portal EM TEMPO, quando o rio ainda estava em 28,86m. Nesta quarta (28), o nível já subiu 6cm e está em 28,92m, mesma conta atingida em 2020. 

    Manacapuru e Itacoatiara já atingiram a cota máxima

    Em Manacapuru, o rio Solimões atingiu 19,66m e ultrapassou a  cota de inundação severa, que era de 19,60m. O município de Itacoatiara, que foi o primeiro a atingir a cota de inundação severa no Amazonas, na última atualização, havia ultrapassado 29cm da cota e o nível do rio Amazonas está em 14,49m. 

    A pesquisadora do Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM), Luna Gripp, relata que os rios estão subindo em uma velocidade acima do normal observado nos anos anteriores, e que se compara aos anos que houve cheias históricas. 

    Em Manaus, conforme a pesquisadora Luna Gripp, o rio Negro tem um lento processo de subida e descida. Assim que atinge a cota máxima, o rio começa a descer e leva cerca de 126 dias para atingir a cota mínima, com base na série histórica. Com 94% de confiança, a cota máxima deve ser atingida entre junho e julho deste ano

    Leia mais: 

    Moradores de Manacapuru são afetados com inundação severa

    Chuvas deixam Amazonas em estado de atenção

    Manaus terá em 2021 a sétima cheia severa em dez anos, aponta pesquisa