Fonte: OpenWeather

    Pandemia


    Análises apontam maior risco de óbito em mulheres hospitalizadas no AM

    Dados divulgados pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) mostram que 43,5% das mulheres internadas com covid-19 vieram a óbito, um total de 7.476 mortes

    Os dados mostraram que 43.5% das mulheres internadas na rede hospitalar evoluíram para o óbito | Foto: Divulgação/FVS

    MANAUS - Em uma emergência de saúde como a pandemia que nós vivemos, cientistas correm contra o tempo para entender a covid-19, doença que já matou mais de 12 mil pessoas em todo o Amazonas. Para isso, é preciso levantar todos os dados possíveis e assim mapear a doença.

    Para contribuir com mais um dado, a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) divulgou no início desta semana, análises epidemiológicas que apontam fatores de risco associados a óbitos por covid-19. O levantamento do órgão apontou que as mulheres hospitalizadas apresentam maior risco de evolução para óbito por covid-19 do que os homens.

    Os dados mostraram que 43.5% das mulheres internadas na rede hospitalar evoluíram para o óbito. Entre os homens, 39% deles faleceram. Dados obtidos com exclusividade pelo EM TEMPO por meio da FVS mostram que desde o início da pandemia até a segunda-feira (3) 31.204 pessoas foram hospitalizadas no Amazonas por conta de complicações da covid-19, sendo 14.021 homens e 17.183 mulheres.  5.467 casos com homens evoluíram para óbito e 7.476 mulheres faleceram estando hospitalizadas.

    De acordo com o diretor-presidente da FVS-AM, Cristiano Fernandes, o risco de evoluir para óbito em mulheres aumenta com a idade. “Entre os pacientes hospitalizados por Covid-19, tiveram maior risco de evolução para óbito aqueles que apresentavam doenças de base”, disse.

    Fernandes salienta que o risco de evolução para óbito foi de 58% maior entre os pacientes internados com Covid-19 que apresentavam alguma comorbidade. 

    “Os cardiopatas, pacientes com diabetes, com pneumopatia ou doença hematológica apresentaram maior risco de evolução para óbito”, destacou.

     

    O assessor da Sala de Situação de Saúde da FVS-AM, Daniel Barros, destaca ainda no levantamento que os pacientes residentes em Manaus apresentaram maior risco de evolução para o óbito, quando comparados aos residentes de municípios do interior do Amazonas.

    “Outro achado encontrado no levantamento é que os pacientes que fizeram uso de suporte ventilatório invasivo tiveram risco aumentado em 2,8 vezes de evoluírem para óbito por Covid-19”, disse.

     

     Ainda segundo Barros, a idade dos pacientes internados também influencia no número de óbitos. “Outra característica também que nós já sabíamos é que pessoas com maior idade apresentam também maior risco de evolução para o óbito. Pessoas com 60 anos ou mais tem um risco até oito vezes maior de evolução para óbito do que pessoas com até 20 anos”.

    A FVS-AM mantém atualizado 11 painéis de monitoramento epidemiológico no site institucional. “Os painéis como os boletins epidemiológicos são atualizados com os dados fornecidos pelas secretarias municipais de saúde e consolidados para demonstrar com transparência o cenário da doença no Amazonas”, completou Barros.

    Leia mais

    CPI da Covid cria expectativas: quem ganha e quem perde?

    Amazonas recebe nova remessa com vacinas AstraZeneca e Pfizer

    Estudo aponta estabilidade no contágio pelo novo coronavírus no AM