Fonte: OpenWeather

    Dia das Mães


    Mães de crianças com deficiência recebem apoio do Governo do AM

    As mães contam com uma variedade de serviços e programas que auxiliam no desenvolvimento das crianças PcDs

     

    Uma das organizações que conta com o apoio do governo é o Grupo Super Mães, que auxilia famílias de crianças PcDs
    Uma das organizações que conta com o apoio do governo é o Grupo Super Mães, que auxilia famílias de crianças PcDs | Foto: Divulgação

    Manaus - A maternidade costuma mudar a vida das mulheres, principalmente quando as crianças nascem com deficiência. Mães de Pessoas com Deficiência (PcDs) amazonenses encontram na Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) uma variedade de serviços e programas que auxiliam no desenvolvimento e na qualidade de vida das crianças PcDs.

    Os usuários atendidos pela Secretaria Executiva da Pessoa com Deficiência (SePcD), vinculada à Sejusc, estão inseridos em diferentes contextos sociais.

    Por meio dos projetos disponibilizados na sede do Núcleo PcD, na rua Salvador, 456, Adrianópolis, zona centro-sul, as mães têm acesso a atendimentos com fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos e atividades pedagógicas, atendendo determinação do governador do estado. Além disso, é realizada a emissão da Carteira de Identificação para a Pessoa com Deficiência e do Passe Legal.

    Segundo a secretária titular da Sejusc, Mirtes Salles, o Governo do Amazonas faz o possível para garantir o bem-estar das famílias em vulnerabilidade social, principalmente aquelas em que a figura materna assume todos os papeis.

      “Muitas vezes as mães realizam todo o trabalho dentro de casa, cuidando de seus filhos, são consideradas heroínas. O Governo do Amazonas trabalha diariamente, garantindo os direitos de todas as mães, em especial mães de Pessoas com Deficiência”, disse a gestora.  

    Apoio

    Por causa da pandemia do novo coronavírus, muitas famílias enfrentaram dificuldades, mas não ficaram desamparadas pelo governo estadual.

    Uma das Organizações da Sociedade Civil (OSCs) que conta com o apoio do governo, na continuidade de seus trabalhos, é o Grupo Super Mães, que auxilia famílias de crianças PcDs.

    A integrante do grupo Jennifer Lima, mãe do pequeno Marcos Gabriel, de dois anos, afirmou que sem as doações de alimentos pelo Governo do Amazonas, as dificuldades seriam maiores. “É muito bom vivermos unidas, para buscarmos força cada vez mais e sempre agradecer quando recebermos ajuda e doações. Quero agradecer primeiramente a Deus, depois ao Governo do Amazonas, pois se não fosse esse apoio estaríamos em uma situação pior”, informou.

     

    Por causa da pandemia do novo coronavírus, muitas famílias enfrentaram dificuldades, mas não ficaram desamparadas
    Por causa da pandemia do novo coronavírus, muitas famílias enfrentaram dificuldades, mas não ficaram desamparadas | Foto: Divulgação

    Mais trabalhos

    Além das doações de alimentos regionais e cestas básicas, a Sejusc conta com diversos projetos e atividades na sede do Núcleo PcD. Um dos projetos ativos é o “Sejusc Abraça”, que conta com atividades de forma remota, através de vídeos gravados pelos técnicos de paradesporto, fisioterapeutas e fonoaudiólogos envolvidos na iniciativa

    Entre as famílias beneficiadas pelo projeto, está a de Lenilza Silva, mãe do Rian Kauã, assistido por meio da fisioterapia. Ela relata que, após muita procura, a outra filha encontrou a Sejusc. A partir disso, conseguiram cadastrar a criança no “Sejusc Abraça”.

      “Ele realiza as atividades duas vezes durante a semana, tem ajudado bastante, pois ele tem uma dificuldade muito grande com a coluna. Então é de extrema importância o projeto, pois sem ele, muitas crianças estariam desamparadas”, destacou Lenilza.  

    Independência

    No Núcleo PcD, também acontece a entrega de cadeiras de rodas, entre universais, posturais e dinâmicas, após o processo de medição, que consiste na análise das medidas da Pessoa com Deficiência, para que a cadeira esteja adequada ao tamanho.

    João Pedro, de quatro anos, recebeu a cadeira em fevereiro deste ano. A mãe, Arlete Pires, conta que, em três meses, João se tornou mais independente.

    “A gente o levava para todos os lugares no colo, então a cadeira de rodas ajuda muito, sem ela o João não ficaria feliz como está agora. Ele está muito feliz e mais independente, desde que a cadeira de rodas chegou”, afirmou Arlete.

    *Com informações da assessoria

    Veja mais:

    No AM, 300 mil crianças ficaram excluídas da educação na pandemia

    Sinésio defende emenda de R$ 100 mil para familiares de PcDs

    Deputado cobra a inclusão de PcDs como prioridade na vacinação