Fonte: OpenWeather

    Limpeza


    Mais de 600 toneladas de lixo são retiradas do Rio Negro, em Manaus

    O material recolhido de toda encosta da orla do rio Negro, foi transportado do porto Trairi, no Santo Antônio, Zona Oeste, até o aterro sanitário municipal

     

    As equipes que atuam na limpeza fluvial utilizam redes, balsas e rebocadores tirando todo o lixo que é descartado de forma irregular, e que acaba poluindo os rios e igarapés
    As equipes que atuam na limpeza fluvial utilizam redes, balsas e rebocadores tirando todo o lixo que é descartado de forma irregular, e que acaba poluindo os rios e igarapés | Foto: Divulgação

    Manaus - O prefeito de Manaus, David Almeida, acompanhou na manhã deste domingo(16), o transbordo de 600 toneladas de resíduos sólidos, retirados do rio Negro, pelas equipes da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), nos últimos 30 dias. O material recolhido de toda encosta da orla do rio Negro, foi transportado do porto Trairi, no Santo Antônio, Zona Oeste, até o aterro sanitário municipal, localizado no quilômetro 19, da AM–010 (Manaus - Itacoatiara).

      “Há 30 dias retiramos 500 toneladas de lixo dos igarapés de Manaus, e hoje estamos aqui fazendo o transbordo de outras 600 toneladas de resíduos sólidos. Isso é um prejuízo ambiental muito grande. Nós vamos começar a trabalhar uma campanha de conscientização ambiental, de preservação dos nossos rios e igarapés. É um trabalho muito caro e dispendioso, mas vamos implementar políticas públicas de conscientização para que os nossos rios e igarapés não sejam tão poluídos”, informou o prefeito.  

    De acordo com o secretário de Limpeza Urbana, Sabá Reis, diariamente a prefeitura realiza o trabalho de retirada de resíduos sólidos em toda orla da cidade. As equipes que atuam na limpeza fluvial utilizam redes, balsas e rebocadores tirando todo o lixo que é descartado de forma irregular, e que acaba poluindo os rios e igarapés.

    “São 60 quilômetros de orla e nosso trabalho de limpeza é constante. Diariamente são 27 toneladas de lixo que retiramos das águas. Nossas equipes fazem ações constantes na Manaus Moderna, Educandos, Colônia Oliveira Machado e outros pontos. E tudo isso pode ser evitado com a colaboração da nossa população, em não descartar lixo irregular nos rios e igarapés”, observou. 

    Após a retirada dos resíduos sólidos dos rios, o material é acomodado em balsas e encaminhado ao aterro sanitário para o descarrego. No local, os resíduos sólidos são compactados e aterrados. A modalidade de limpeza fluvial retira em média 27 toneladas por dia de lixo dos igarapés, a um custo de R$ 1 milhão por mês aos cofres públicos.

    Com informações da assessoria*

    Leia mais:

    Especialistas pedem políticas públicas para reduzir impactos da cheia

    Cheia histórica afeta feirantes em Manaus e no interior do AM

    Itacoatiara deve ser atingida com cheia histórica do rio Amazonas