Fonte: OpenWeather

    PROTESTO


    Manaus participa de ato nacional contra Bolsonaro neste sábado (19)

    Manifestantes pedem aumento no valor do Auxílio Emergencial, fim de ataques à Zona Franca e mais vacina

    Manifestações do último 29 de maio | Foto: Bianca Fatim

    Manaus - A exemplo de outras cidades do Brasil, neste sábado (19), organizações sociais, movimentos populares, fóruns e entidades da classe trabalhadora pública e privada de Manaus estarão unidos em um grande ato nacional contra a gestão do governo federal. Na capital, a manifestação acontece a partir das 15h, tendo como ponto de partida a Praça da Saudade. Os organizadores prometem superar o protesto do dia 29 de maio, que levou milhares de pessoas às ruas de todo o país.

    O Dia Nacional de Lutas ganhou a tag #19J, e, segundo organizadores, tem o objetivo de demonstrar o descontentamento e indignação com a negligência e o comportamento do presidente Jair Bolsonaro em relação às medidas de combate aos efeitos da pandemia no país, como defender tratamentos ineficazes e colocar em dúvida a utilidade das vacinas.

      O Dia Nacional de Luta #9J pede auxílio emergencial digno até o fim da pandemia, luta contra o corte de verbas na educação, as ameaças à Zona Franca de Manaus (ZFM), o corte de verbas aos municípios do AM, por vacinação rápida e efetiva para todos, pela valorização do serviço público e pelo afastamento de Bolsonaro do cargo da presidência.  

    Reformas

    Outra ala dos protestos está ligada ao funcionalismo público, o que faz com que servidores marquem presença nas manifestações deste sábado. Este grupo critica a Proposta de Emenda à Constituição n.º 32, conhecida como Reforma Administrativa. Se aprovado, o projeto irá retirar uma série de direitos dos funcionários públicos, dentre eles, a estabilidade. 

    "

    A proposta vai provocar o caos na vida da população com privatizações, ingerência política e retorno das ‘rachadinhas’ no serviço público, com o loteamento de cargos "

    Luiz Cláudio Correa, presidente do Sindicato dos Servidores da Justiça do Trabalho e Justiça Federal (SitraAM/RR), e um dos organizadores do #19J

     

    Segurança sanitária

    No último ato, ocorrido em 29 de maio, a imensa maioria dos manifestantes utilizou máscaras e buscou o distanciamento social. Dos carros de som que acompanharam a passeata, também foram anunciados pedidos para que as medidas de prevenção à covid-19 fossem obedecidas. 

    Segundo organizadores, ao longo de toda a semana aconteceram plenárias com o objetivo de mobilizar e detalhar a organização do ato, que orienta a participação apenas de pessoas fora dos grupos de risco e conscientes das regras de segurança.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Pessoas de 36 anos já podem se vacinar contra Covid-19 em Manaus

    População de Manaus será vacinada até fim de agosto, diz prefeito

    Mais de 2 mil famílias de Caapiranga com Auxílio Estadual Enchente