Fonte: OpenWeather

    Descaso


    Em Iranduba, praças de Cacau Pirêra estão abandonadas

    Praças e espaços de lazer de Iranduba foram esquecidos pelo poder público

    Espaços de lazer não recebem atenção da prefeitura e as estruturas estão se degradando cada vez mais | Foto: Ayrton Senna Gazel

    Iranduba (AM) - Após quase seis meses desde o início da gestão do prefeito Augusto Ferraz (DEM), em Iranduba, não há nenhum indício de que os espaços de lazer do município, especialmente os de Distrito de Cacau Pirêra, serão revitalizados pelo poder público. Para quem anda pelas praças da Igreja São Francisco e de Nova Veneza, ambas situadas próximas à Ponte Jornalista Phelippe Daou (Ponte Rio Negro), a percepção imediata é de abandono.

    No espaço público do bairro Nova Veneza, a pintura está completamente desbotada, há lixo e mato por toda a parte.

    "

    Durante as eleições, é uma coisa, ele [o prefeito Augusto Ferraz] fez tudo quanto foi promessa, mas até agora não promoveu nenhuma reforma. Até a limpeza, nós [comerciantes] somos obrigados a fazer, até para melhorar a movimentação de clientes. Isso é porque estamos na entrada de Iranduba, agora imagine dentro das comunidades "

    comerciante da praça, de 35 anos, que não quis se identificar

    Já na praça da igreja de São Francisco, localizada no bairro Alto de Nazaré, a situação não é diferente. O local está com a estrutura degradada e há mato crescendo em meio ao desgaste da calçada.

    "

    Sempre conversava na praça com amigos, mas até antes da pandemia paramos de vir para cá. Tá bem feio, a iluminação à noite é péssima, e o pior de tudo, é que essa é a única área de lazer que temos aqui no bairro "

    Mateus, de 17 anos, estudante

    Nenhum plano de revitalização

    Conforme a assessoria do prefeito Augusto Ferraz, no momento, não há nenhuma previsão para realizar a revitalização das praças e de demais espaços públicos do município.

    O órgão afirmou apenas que o prefeito tem a intenção de elaborar projetos de revitalização das praças para serem enviados ao Ministério das Cidades, e desta forma obter recurso, mas não informou nenhuma data de quando isso poderá acontecer.

    Leis mais