Fonte: OpenWeather

    Vazante


    Rio Negro desce mais um centímetro e chega a 29,98 metros em Manaus

    Mesmo com a descida, nível das águas ainda é considerado alto e prejudica bairros de Manaus

     

    O Serviço Geológico do Brasil (CPRM), divulgou a previsão de início da vazante
    O Serviço Geológico do Brasil (CPRM), divulgou a previsão de início da vazante | Foto: Divulgação

    Manaus - A capital amazonense e demais municípios do interior do Amazonas foram afetados diretamente pela cheia história do Rio Negro. O nível da água chegou a 30,02 metros, no último dia 16 de junho, sendo a maior cheia nos últimos 119 anos. 

    O rio Negro desceu mais um centímetro, registrando 29,98 metros, seguindo a previsão do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), de lentidão no processo de vazante, nesta segunda feira (28).

    No ano passado, o nível das águas chegou a 28, 52 metros no mesmo mês. Esta foi o maior registro feito desde 1902, quando teve início o processo de medição. 

    Mesmo com a descida, o nível das águas ainda preocupa e deixa municípios do Estado em situação de emergência.

    A Prefeitura de Manaus e o Governo do Amazonas continuam as ações para enfrentamento da cheia. Mais de dois mil cartões do "Auxílio Operação Cheia 2021" foram entregues pela Prefeitura de Manaus, esta semana, por meio do Fundo Manaus Solidária. Em Parintins, distante 369 km da capital, o município recebeu mais de 9 mil cartões, o que significa um apoio direto de R$ 2 milhões no social e na economia.

    Lentidão

    O Serviço Geológico do Brasil (CPRM), divulgou a previsão de início da vazante. A pesquisadora Luna Gripp, acredita que apenas variações na ordem de um centímetro são registradas. 

    Sobre a vazante, a pesquisadora completou que "Essa baixa é sempre gradual e lenta. A probabilidade é que comece a baixar um centímetro por dia, depois dois, depois três, isso vai variando, lentamente. Apesar disso começar na próxima semana é importante ressaltar que a retomada dos processos normais, com os rios voltando para sua calha principal e deixando de ter os impactos que são observados na população, ela vai ser de forma lenta e gradual. Não é de uma hora para outra”, afirma.

    Leia mais: 

    Não faça do seu carro uma "lancha"

    Novo 'repiquete': Rio Negro sobe 1 cm e volta a marcar 30,01 metros

    Festejo de São Pedro é comemorado sábado (26) na comunidade Saracá