Fonte: OpenWeather

    Cuidados


    População deve ficar alerta sobre cuidados para manter saúde dos olhos

    O Dia da Saúde Ocular aponta para a necessidade de ficar em alerta sobre os riscos que longos períodos de exposição às telas representam para o sistema ocular

     

    | Foto: Semcom

    Manaus - A crise sanitária mundial causada pela Covid-19 acelerou mudanças que já vinham se manifestando no mundo profissional, mas ainda não eram largamente utilizadas.

    Se, por um lado, o teletrabalho, as videoconferências e outras ferramentas tecnológicas permitiram a continuidade das tarefas, por outro, demandaram mais tempo em frente às telas, exigindo muito da visão.

    No Dia da Saúde Ocular, comemorado nesta sexta-feira (9), a Prefeitura de Manaus orienta os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) sobre o fluxo do atendimento na rede básica e os cuidados para manter a saúde dos olhos.

    Para a titular da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Shádia Fraxe, o "Dia da Saúde Ocular" aponta para a necessidade de ficar em alerta sobre os riscos que longos períodos de exposição às telas.

    "

    Na maioria dos casos as pessoas não percebem que as dores de cabeça, ardência e irritação nos olhos são condições acentuadas pelo tempo que ficamos trabalhando em notebooks, celulares e tablets. São sinais que podem passar despercebidos, mas que precisamos considerar para evitar as complicações "

    Shádia Fraxe, Secretária Municipal de Saúde

     

    Shádia Fraxe explica que a Semsa oferta atendimento de oftalmologia na Policlínica Castelo Branco, no bairro Parque 10 de Novembro, na zona Centro-Sul de Manaus.

    “Para ter acesso às consultas o usuário precisa primeiramente passar por uma avaliação em uma Unidade Básica de Saúde, para que o médico agende a consulta via Sistema Nacional de Regulação (Sisreg) para àquela unidade”, orienta.

      A Policlínica Castelo Branco funciona de segunda a sexta-feira, no turno matutino, com 12 atendimentos pela manhã. De terça a quinta-feira são realizados 20 atendimentos no turno vespertino.  

    Sobrecarga

    O oftalmologista Paulo Roberto de Magalhães, que atua na unidade de saúde do Parque 10, vê com preocupação o uso excessivo de telas, que geram sobrecarga nos olhos.

    “Muitos pacientes apresentam a ‘síndrome da visão de computador’ ou fadiga visual digital. Para se ter uma ideia do quadro, cerca de 80% da nova geração apresenta queixas compatíveis com essa síndrome. Olho seco, irritação ocular frequente, visão turva, perda de foco, fadiga visual e dores de cabeça são alguns dos sintomas mais recorrentes”, assinala.

      O conjunto de sintomas não é sentido exclusivamente pelos adultos, ressalta Paulo Roberto. Milhares de crianças fazem uso de computadores ou longas exposições às telas de aparelhos, seja por causa das aulas on-line, ou passando muito tempo jogando em celulares e tablets.  

    O médico alerta que há uma “epidemia” de miopia, com novos casos evidenciado em um estudo realizado na China com mais de 120 mil crianças entre seis e 13 anos, publicado na revista Jama Ophtalmology.

    “O estudo mostra que após o isolamento, durante a pandemia de Covid-19, em 2020, houve um aumento de 400% da prevalência da miopia em crianças de seis anos. Esse fato nos alerta para o risco de antecipação da miopia e problemas na visão ao atingir a vida adulta, em decorrência de complicações oriundas do aumento do globo ocular por exposição precoce e hiper estimulação da visão de perto”, acentuou.

    Como forma de atenuar esse quadro, a recomendação principal é reduzir o tempo de exposição às telas ou criar um intervalo para que o mecanismo de acomodação do olho possa relaxar um pouco.

    Ar-condicionado

    Manaus é uma cidade que apresenta altas temperaturas e para proporcionar um ambiente confortável principalmente nos locais de trabalho, os aparelhos de ar-condicionado são regulados para temperaturas baixas.

    Embora a sensação térmica seja boa, essa condição pode ressecar mais a mucosa ocular e aumentar a evaporação da lágrima, contribuindo para o aparecimento de ceratite (inflamação na córnea), conjuntivite seca e visão turva.

    “Exames de rotina permitem a identificação de doenças insidiosas, que apresentam pouco ou nenhum sintoma como o glaucoma, uma neuropatia óptica associada na maioria das vezes ao aumento da pressão intraocular, que ocasiona perda da visão, o que faz com que o diagnóstico seja tardio, quando já ocorreu dano funcional”, orienta o oftalmologista.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais: 

    Conheça o Edema Pulmonar, doença ligada a insuficiência cardíaca

    Amazonas registra 543 novos casos de Covid-19 e seis mortes, diz FVS

    Confira os sinais e o tratamento contra câncer de cabeça e pescoço