Fonte: OpenWeather

    Tristeza


    Comoção e revolta marcam velório de ciclista em Manaus

    A mãe da vítima afirma que vai fazer de tudo para que seja feita justiça pela morte do filho

     

    O velório foi marcado por dor e revolta
    O velório foi marcado por dor e revolta | Foto: Bianca Fatim

    MANAUS - Comoção e revolta marcam o velório do ciclista e representante comercial Saulo Alves Viana, de 33 anos, que perdeu a vida após ser atropelado por um ônibus do transporte público, na avenida Brasil, Compensa, Zona Oeste de Manaus. O acidente aconteceu no dia 13 de julho, e, após 18 dias internados no Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, morreu no último sábado (31).

    O velório, realizado em uma funerária na Zona Centro-Sul da capital, contou com a presença  dos familiares e amigos de Saulo, que estavam tristes e inconsoláveis com o acidente. A mãe da vítima, Socorro Alves, falou com a reportagem do Portal Em Tempo sobre a dor e tristeza que está sentindo. Além da revolta pela falta de assistência por meio da empresa de ônibus que atropelou o ciclista. 

    “Não tivemos nenhum suporte da empresa de ônibus e vamos fazer de tudo para que a morte do Saulo sirva de lição e que façam alguma coisa, para que não aconteça essa situação novamente. Queremos chamar atenção para esse caso, pois uma mãe perder um filho assim é uma dor muito grande”

    O advogado da família, Paulo Oliveira, afirmou que vai entrar com uma ação contra a empresa de ônibus, por conta da falta de assistência. 

    “Vamos judicializar uma ação contra a empresa que não prestou assistência ao Saulo. E tudo o que tiver que ser feito para fazer justiça pela morte dele, nós vamos fazer”, afirma Oliveira.

    A mãe de Saulo ainda falou que irá fazer de tudo para que a morte do filho não seja em vão e que ela possa servir para que casos como o dele não aconteçam novamente. 

     

    | Foto: Bianca Fatim

    “Vamos lutar para que a morte do meu filho não seja em vão. Eu estou sentindo uma dor que jamais imaginei e não desejo isso para ninguém. Que as autoridades escutem a gente e que resolvam fazer alguma coisa. Foi muita negligência o que fizeram com o Saulo”, lamenta.

    Vários grupos de ciclistas também estiveram presentes para prestar as suas últimas homenagens ao Saulo, que era bem ativo na classe. Na próxima terça-feira (3), eles vão se reunir, juntamente com familiares e amigos, em uma manifestação a partir das 20h.  O protesto vai começar na avenida Djalma Batista e vai seguir até a avenida Brasil, onde será colocada uma Ghost Bike, no local do acidente.

    Relembre o caso 

    O ciclista Saulo Viana realizava um percurso de bicicleta pela avenida Brasil, na Zona Oeste, quando foi atropelado pelo ônibus do transporte público. Ele deu entrada no Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, com uma fratura na bacia.

    Além disso, passou por diversas cirurgias e apresentou um quadro de meningite e pneumonia, além de outras complicações, tendo que fazer até hemodiálise.

    Leia mais: 

    Em oito anos, 31 ciclistas perderam a vida no trânsito de Manaus

    Manifestações apoiam ciclista que foi atropelado em Manaus

    Ciclista cai na pista e tem cabeça esmagada por ônibus, em Manaus