Fonte: OpenWeather

    Ação Social


    Operação Enchente encerra com mais de 120 mil famílias atendidas

    Ações incluíram reforço na oferta de água potável, de atendimentos sociais e de saúde, de crédito e anistia de dívidas

     

    A  Operação Enchente 2021, foi lançada pelo governador Wilson Lima em março deste ano
    A Operação Enchente 2021, foi lançada pelo governador Wilson Lima em março deste ano | Foto: Secom

    Manaus (AM) - O Subcomando de Ações de Proteção e Defesa Civil, do Governo do Amazonas, apresenta balanço da Operação Enchente 2021, lançada pelo governador Wilson Lima em março para prestar assistência a famílias afetadas pela cheia histórica dos rios do Amazonas. Neste ano, o Estado entregou, de forma inédita, o Auxílio Estadual Enchente, no valor de R$ 300, para 120.955 famílias de 56 municípios, totalizando mais de R$ 36 milhões em investimentos no benefício.

    O Auxílio Estadual Enchente possibilitou a compra de alimentos e outros itens essenciais. “Nosso esforço foi para que essa ajuda chegasse no momento que as pessoas mais precisavam. Isso nos realiza não só enquanto homem público, mas também enquanto cidadão, no sentido de trazer essa ajuda, que é pontual, mas que se soma a outras ações que ajudaram a população a enfrentar as dificuldades de uma cheia histórica”, afirmou Wilson Lima.

    De acordo com o balanço da Defesa Civil do Estado, as ações da Operação Enchente somaram mais de R$ 103 milhões. Além do Auxílio Estadual Enchente, a operação contou com ajuda humanitária às famílias atingidas, com a entrega de cestas básicas e kits de higiene e dormitório, entre outros itens.

     

    As entregas de ajuda humanitária e do cartão Auxílio Enchente foram realizadas de forma gradativa
    As entregas de ajuda humanitária e do cartão Auxílio Enchente foram realizadas de forma gradativa | Foto: Secom

    Água potável

    Também foi ampliada a oferta de água potável nos municípios atingidos pela cheia, com o envio de estações móveis de tratamento de água e de estações fixas de tratamento, por meio do projeto Água Boa, executado em parceria com a Companhia de Saneamento do Amazonas (Cosama).

    Os investimentos incluíram aportes financeiros via convênio firmado com os municípios, para também ampliar oferta de ajuda humanitária, combustível e madeira, entre outros materiais. A Defesa Civil também auxiliou os municípios com o trabalho do Centro de Monitoramento e Alerta (Cemoa), que faz o levantamento e dispara informações por meio de boletins e alertas metereológicos.

    As entregas de ajuda humanitária e do cartão Auxílio Enchente foram realizadas de forma gradativa, priorizando famílias e comunidades de difícil acesso, contando com apoio de prefeituras municipais e de outros órgãos do Estado, como a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), o Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS) e o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam).

    Com a Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), o Governo concedeu crédito emergencial e anistiou dívidas, além de renegociar débitos daqueles que tiveram seus negócios impactados pela cheia.  A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) também intensificou os atendimentos de saúde e os órgãos estaduais do sistema de Produção Rural também apoiaram com a aquisição de alimentos e doação a pescadores e agricultores das áreas atingidas.

     

    Governador Wilson Lima durante a entrega de cartões do Auxílio Enchente Estadual
    Governador Wilson Lima durante a entrega de cartões do Auxílio Enchente Estadual | Foto: Secom

    Entrega, por fases, de um total de 120.955 cartões Auxílio Estadual Enchente em 56 municípios:

    Fase 1

    Anamã - 2.390

    Boca do Acre – 4.210

    Canutama - 1.744

    Lábrea – 2.366

    Pauini - 1.444

    Tapauá - 1.244

    Fase 2

    Careiro da Várzea – 6.021

    Carauari - 625

    Eirunepé – 3.330

    Envira – 1.331

    Ipixuna – 3.319

    Juruá - 1.350

    Itamarati – 1.373

    Guajará – 1.313

    Fase 3

    Borba – 3.889

    Novo Aripuanã – 2.525

    Fase 4

    Anori – 2.486

    Autazes – 4.180

    Careiro Castanho – 2.672

    Itacoatiara – 2.826

    Iranduba – 4.879

    Manacapuru – 9.300

    Manaquiri – 2.589

    Manaus – 3.498

    Nova Olinda do Norte – 3.074


    Fase 5

    Barreirinha – 2.994

    Boa Vista do Ramos – 625

    Caapiranga – 2.040

    Maués – 1.950

    Nhamundá – 1.293

    Parintins – 9.500


    Fase 6

    Atalaia do Norte – 1.200

    Santo Antônio do Içá – 493

    Tabatinga – 1.300

    Tonantins – 1.490


    Fase 7

    Alvarães – 1.298

    Coari – 1.900

    Fonte Boa – 1.900

    Jutaí – 1.600

    Maraã – 1.358

    Tefé – 2.500

    Uarini – 1.386


    Fase 8

    Amaturá – 516

    Barcelos – 379

    Beruri – 1.340

    Codajás – 472

    Japura – 732

    Novo Airão – 449

    Presidente Figueiredo – 999

    Rio Preto da Eva – 869

    Santa Isabel do Rio Negro – 956

    São Paulo de Olivença – 2.252

    São Sebastião do Uatumã – 487

    Silves – 839

    Urucará – 489

    Urucurituba – 1.371

    *Com informações da assessoria 

    Leia mais: 

    Prefeitura de Figueiredo lança programa para reconstrução da cidade

    Associação de Pescadores no AM contará com emenda de R$300 mil

    Mais de 120 mil famílias já receberam Auxílio Estadual Enchente no AM