Fonte: OpenWeather

    Perigo no trânsito


    Motoristas de carretas ignoram leis e agravam riscos em trânsito do AM

    Além de sobrecarregar o trânsito em horários de pico, a circulação de veículos pesado traz risco aos demais condutores e pedestres

    Carretas circulam em horários de pico e colocam em risco demais condutores | Foto: Divulgação/Semcom

     

    Carretas circulam em horários de pico e colocam em risco demais condutores
    Carretas circulam em horários de pico e colocam em risco demais condutores | Foto: Divulgação/Semcom

    MANAUS (AM) - Mesmo proibidos por duas portarias municipais, a restrição de veículos pesados em horários e avenidas definidas continua sendo descumprida na capital do Amazonas. Além de agravar o já sobrecarregado trânsito de Manaus nos horários de pico, o intenso tráfego de carretas em horários proibidos pode ocasionar tragédias.

    Há pouco mais de duas semanas, no dia 27 de agosto, a capital registrou um grave acidente que causou grande comoção entre a população. Suzy Pedrosa Caldas, de 38 anos e Maria Eduarda Caldas, de apenas 17 anos, foram esmagadas por uma carreta, na avenida Rodrigo Otávio, zona Sul de Manaus.

    Madrasta e enteada estavam em um carro de passeio, quando pararam em um semáforo vermelho e foram atingidas pelo veículo pesado que não conseguiu frear a tempo. Em depoimento à polícia obtido pelo EM TEMPO, o motorista contou que no dia do acidente havia percebido um problema no freio da carreta, mas achou que não teria maiores gravidades.

     

    Grave acidente deixou duas pessoas mortas
    Grave acidente deixou duas pessoas mortas | Foto: Reprodução

      Buscando dar uma resposta à opinião pública, o Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) realizou uma operação com agentes do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM). Na ocasião foram removidos oito caminhões para o parqueamento do órgão estadual e 25 condutores foram autuados por estarem transitando com irregularidades nos veículos.  

    As duas portarias de 2013 e 2015, publicadas pela prefeitura de Manaus, restringem a circulação de veículos pesados na avenida Constantino Nery e Djalma Batista (6h às 9h e 17h às 20h para veículos com mais de oito toneladas, e 9h às 17h para veículos acima de 16t), avenida Maceió (6h às 20h para veículos acima de 16t), Mário Ypiranga (6h às 9h para veículos acima de oito toneladas, e 9h às 20h para veículos com mais de 20t), e Umberto Calderaro (6h às 17h para veículos acima de 16t, e 17h às 20h para veículos acima de oito toneladas). 

     

    Manaus conta com duas normas que restringem a circulação de veículos pesados na capital
    Manaus conta com duas normas que restringem a circulação de veículos pesados na capital | Foto: Reprodução

    No entanto, motoristas de carretas seguem desrespeitando as leis e circulando em horários proibidos por normas locais.

    Fluxo intenso e desrespeito às normas

    Especialistas ouvidos pelo EM TEMPO afirmam que algumas das avenidas onde há o maior fluxo de veículos de grande porte são a Rodrigo Otávio, Buriti, Torquato Tapajós, Constantino Nery e Djalma Batista. Isso ocorre porque as vias são corredores importantes que interligam indústrias do Distrito Industrial, Porto de Manaus, Aeroporto Internacional Eduardo Gomes e BR-174. 

     

    Carreta tomba em avenida de Manaus
    Carreta tomba em avenida de Manaus | Foto: AET

    De acordo com Hariney Mendonça, especialista em trânsito, o desrespeito às portarias municipais está ligada à capacidade dessas carretas em transportar grande quantidade de mercadorias e a inexistência de uma estratégia eficiente para o abastecimento das indústrias.

    "

    O modus operandi da produção de uma empresa do Distrito Industrial [zona Sul da capital] requer, a todo momento, reposições de materiais, o que nem sempre pode ser ajustado aos horários onde o tráfego está mais ameno. Outra questão relevante é que as carretas têm uma capacidade muito maior para transportar cargas, em relação aos veículos de menor porte, o que reduz muito os custos das empresas "

    , explica.

     

    Fiscalização precisa ser constante e efetiva

    Para o engenheiro de trânsito Manoel Paiva, a fiscalização do sistema viário, especialmente em relação à circulação de veículos pesados precisa ser efetiva e permanente. 

    "A nossa legislação de trânsito é muito detalhada e rígida, mas se não tem pessoas nas ruas, agentes de trânsito para realizar uma fiscalização intensa, os condutores dessas carretas e os proprietários das empresas se sentem livres para ignorarem as normas da cidade, resultando em um trânsito cada vez mais desorganizado e inseguro", afirma o engenheiro de trânsito. 

    Paiva pondera que o trânsito da capital só poderá ser minimamente organizado quando essa medida for cumprida corretamente. "Não adianta termos bons dispositivos normativos, se ele não é cumprido. Se conseguirmos fazer valer a fiscalização, nós vamos diminuir os acidentes e poderemos melhorar esse cenário do trânsito de Manaus", conclui.

    Anel Leste

    Em 2019, o Governo do Amazonas iniciou as obras para o complexo Anel Leste, que vai interligar o Distrito Industrial e o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes. A intenção é tirar de circulação de outras vias da cidade as carretas que saem do Polo Industrial de Manaus (PIM).

     

    A obra vai interligar o Distrito Industrial e o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes
    A obra vai interligar o Distrito Industrial e o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes | Foto: Reprodução

      Entretanto, a conclusão está prevista apenas para dezembro do ano que vem. O contrato foi assinado em 2013 e ficou paralisado por cerca de cinco anos.  

    O corredor viário fará a ligação da Bola do Puraquequara, no Distrito Industrial 2, com a reserva Adolpho Ducke. "As carretas que trafegam ali pelo V-8, na General Rodrigo Otávio, representando um perigo para pedestres e condutores, vão ser tiradas de circulação desses trechos e destinadas para o Anel Leste, que vai fazer a ligação com a BR-174, com a AM-010, e também com o aeroporto por meio do Anel Sul”, afirmou o governador Wilson Lima.

    IMMU

    Em nota, o IMMU informou que realiza fiscalizações e monitoramento por meio de agentes de trânsito do órgão, utilizando viaturas e motocicletas. Entretanto, o IMMU não detalhou à equipe de reportagem o número de condutores de carretas autuados, neste ano, por descumprirem a portaria que estabelece horários para a circulação de veículos pesados. 

    Leia mais

    Revitalização da avenida Professor Nilton Lins é concluída em Manaus

    Em 13 anos de 'Lei Seca', 12 mil motoristas já foram autuados no AM

    Trânsito de Manaus pode 'paralisar' em menos de dez anos

    Comentários