Fonte: OpenWeather

    Clima


    Tempo seco e altas temperaturas 'castigam' população manauara

    Apesar dos manauaras já estarem acostumados com o forte calor, especialistas ressaltam que os cuidados com o corpo devem ser redobrados durante esse período do ano

    Hidração é ainda mais importante durante tempo quente e seco | Foto: Reprodução

     MANAUS (AM)  - Tempo quente e umidade relativa do ar com taxas abaixo da média anual. Essas são as condições climáticas típicas do mês de setembro em pleno verão amazônico. Apesar dos manauaras já estarem acostumados com o forte calor, especialistas ressaltam que os cuidados com o corpo devem ser redobrados durante esse período do ano.

    De acordo com a meteorologista Isabella Diógenes, as altas temperaturas estão dentro da normalidade neste ano. Além disso, ela explica que os inícios de tarde costumam registrar uma menor taxa da umidade relativa do ar, quando há aumento da temperatura do ar, fazendo com que a atmosfera expanda, provocando a sensação de ar mais seco.

     

    Historicamente, setembro é um dos meses mais quentes e secos do ano
    Historicamente, setembro é um dos meses mais quentes e secos do ano | Foto: AET

    "Apesar desse fenômeno, a umidade relativa para Manaus segue dentro do esperado climatologicamente. Em média, a capital do Amazonas encontra-se dentro do que é considerado seguro, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Ainda assim, é importante se manter hidratado e não se expor muito tempo ao sol, principalmente nos horários mais quentes do dia", explica Isabella. 

    O clínico geral Sérgio Machado explica que os cuidados com a exposição solar devem ser seguidos durante todo os meses do ano, mas os cuidados requerem ainda mais atenção durante o verão amazônico.

    "

    Medidas como o uso de protetor solar são indispensáveis. O exagero na exposição a este tipo de radiação pode trazer uma série de efeitos, como rugas, manchas, envelhecimento precoce, e até mesmo riscos sérios à saúde, como o câncer de pele, que mata milhares de pessoas por ano "

    , explica.

     

    Problemas com a queda da umidade do ar

    O universitário Luis Silva, de 29 anos, sofre de síndrome do olho seco, e vê o problema se agravar ainda mais durante este período do ano em Manaus. 

    "É algo que enfrento durante o ano inteiro, na verdade, por sempre estar em ambientes com ar condicionado [com grande potencial para deixar o ambiente seco], seja em casa ou na faculdade, o que me faz ter de lubrificar os olhos constantemente. Só que agora, até quando estou na rua, sinto os olhos muito ressecados, principalmente quando pratico atividades físicas", relata. 

     

    Síndrome do olho seco também causa irritação
    Síndrome do olho seco também causa irritação | Foto: Reprodução

    A síndrome ocorre quando as lágrimas não fornecem a umidade adequada, e fatores como a falta de chuvas e a baixa umidade relativa do ar podem acelerar a perda de lágrimas e causar sintomas mesmo em olhos normais. 

      Sérgio Machado explica que a queda das taxas de umidade também afeta o sistema respiratório, especialmente nas pessoas que já sofrem com alergias. As medidas para atenuar o tempo seco incluem beber bastante líquido, água, suco natural, água de coco, manter uma alimentação balanceada, com alimentos refrescantes como frutas mais suculenta, verduras.  

    “Com o tempo seco, a poeira acaba se depositando sobre o chão, sobre as mesas, cadeiras e quando usamos a vassoura, ela acaba jogando para cima a poeira e isso pode piorar a respiração. O melhor é passar um pano úmido no chão e nos móveis diariamente, além de colocar bacias e toalhas molhadas que podem umidificar o ambiente”, recomenda Brito.

    Além disso, outra recomendação é não praticar esportes ou atividades físicas durante o período entre às 10h e 16h da tarde.  

    “Nos dias muito quentes e secos, é recomendável não fazer atividade, deixando para outros dias. É importante também sempre usar o protetor solar e evitar banhos longos para não retirar a hidratação natural da pele”, alerta.

    Recorde de calor em agosto

    Se está difícil aguentar o calor de setembro na capital do Amazonas, o mês anterior não foi muito diferente. No dia 26 de agosto, com os termômetros registrando a máxima de 36,4°C, Manaus alcançou recorde de calor para 2021, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia. O recorde anterior de maior temperatura de 2021 era de 35,7°C em 24 e 25 de agosto.

    Leia mais

    Ipês da avenida Djalma Batista iniciam processo de florescimento

    Estados da Amazônia Legal se unem para combater incêndios florestais

    Mesmo acostumados com o calor, manauaras sofrem com altas temperaturas