Fonte: OpenWeather

    NATUREZA


    Em Novo Airão, Parque Nacional do Jaú completa 41 anos de criação

    O parque recebe o nome de um dos maiores peixes brasileiros e de um dos rios que banha a área. Espaço abriga uma grande biodiversidade de plantas, animais, praias e cachoeiras, em plena floresta Amazônica.

    Espaço abriga uma grande biodiversidade ambiental | Foto: Divulgação

    Novo Airão (AM) - O Parque Nacional do Jaú possui, aproximadamente, 2,2 milhões de hectares e é uma importante amostra dos ecossistemas amazônicos, localizado no município de Novo Airão (distante 196 quilômetros de Manaus). Criado em setembro de 1980, ele completa, neste sábado (24), 41 anos. Local é administrado pelo Instituto Chico Mendes para Conservação da Biodiversidade (ICMBio). 

    O parque recebe o nome de um dos maiores peixes brasileiros e de um dos rios que banha a área - o rio Jaú, um dos muitos afluentes do rio Negro e também o seu principal acesso. O espaço tem uma área com regiões inundáveis, planícies, colinas, igapós, igarapés e matas de terra firme. Local também abriga cachoeiras isoladas, como a do Miratucu, e diversas praias formadas nas margens do rio Jaú.

    Em sua biodiversidade existe sete tipos de vegetação amazônica. Nas áreas inundáveis das margens dos rios estão espécies como o açaizeiro e a palmeira, também encontrada nas áreas aluviais, ocasionalmente inundadas. Os terrenos de maior altitude abrigam árvores e plantas nativas: amapá-doce, jarana e mangarana. Castanheiras-do-pará, maçarandubas, angelins-rajados e sucupiras são só algumas das espécies presentes na área de floresta tropical mais densa. 

     

    Dentro do parque existem cerca de 200 famílias de ribeirinhos.
    Dentro do parque existem cerca de 200 famílias de ribeirinhos. | Foto: Divulgação

    No parque há cerca de 200 famílias de ribeirinhos, que vivem da pesca, das roças de mandioca e da coleta de frutas e cipó, há muitas gerações.

    Nascido e criado no parque, Sabino Souza, de 65 anos, é descendente de quilombolas e morador da comunidade do Tambor.

    "

    Isso aqui é minha vida não conseguiria viver fora desse lugar, as minhas raízes estão aqui "

    Sabino Souza, de 65 anos, morador da comunidade do Tambor.

     

     

    Parque recebe o nome de um dos maiores peixes brasileiros
    Parque recebe o nome de um dos maiores peixes brasileiros | Foto: Divulgação

    Outro morador, José Roberto, agente comunitário, diz que há dificuldades, mas elas são superadas pelos habitantes do parque. “As dificuldades são grandes, mas aprendemos a superar todas elas, tudo graças a esse paraíso que temos chamado Jaú”, destaca.

    A secretária municipal de turismo de Novo Airão, Suziane Oliveira, lembra da importância do parque para o município.

    "

    O Parque Nacional do Jaú é importantíssimo para o município de Novo Airão, por toda a sua biodiversidade, por ser Patrimônio Mundial Natural da Unesco e Sítio Ramsar, ou seja, local de importância ecológica internacional, por abrigar a convenção sobre as zonas úmidas. Todo esse potencial natural é utilizado em prol dos segmentos do turismo de natureza, científico, ecológico, dentre outros segmentos de baixo impacto ambiental "

    Suziane Oliveira, secretária municipal de turismo de Novo Airão.

    A biodiversidade do Parque Jaú é tão rica quanto desconhecida, abriga animais pouco conhecidos pela ciência e um dos fatores responsáveis pela ocorrência de tantas espécies no Parque é o grande número de habitats.

    Atrativos do parque

     

    Biodiversidade do Parque Jaú é tão rica quanto desconhecida
    Biodiversidade do Parque Jaú é tão rica quanto desconhecida | Foto: Divulgação

    O período de seca e cheia na Amazônia proporciona diferentes paisagens. Durante o período de seca é possível visitar as praias e fica mais difícil entrar na mata de igapó. Entre os meses de março e julho há a possibilidade de fazer excursão na floresta de igapó. Do final do mês de agosto e no mês de setembro, é possível ter acesso às cachoeiras (ou corredeiras), praias e petróglifos.

    É possível fazer uma observação da avifauna, da vegetação de igapó e de seus aromas exóticos, avistar ariranhas (com canoa ou motor a baixa velocidade).

    Leia mais