Fonte: OpenWeather

    Lei Orgânica


    Lei proíbe distribuição de sacolas plásticas em Manaus

    Redução de sacolas plásticas pretende diminuir poluição para o meio ambiente

    Sacos plásticos serão comercializados por valores que variam entre R$0,10 e R$0,35 a unidade | Foto: Brayan Riker

      

    | Foto: Brayan Riker

    MANAUS (AM) -  A partir desta quinta (30) está proibida a distribuição de sacolas plásticas descartáveis aos clientes nos supermercados de Manaus. Sancionada no dia 7 de maio, a Lei Orgânica 485 busca contribuir para a redução do consumo de resíduos plásticos e diminuir a poluição para o meio ambiente na capital do Amazonas. 

    Segundo o embaixador do Instituto Lixo Zero Brasil (ILZB) em Manaus, o biólogo Daniel Santos, a lei orgânica é um passo importante que a capital amazonense está dando em relação à redução do plástico. O especialista também destaca que em outros estados leis parecidas já foram adotadas e têm gerado impactos positivos para o meio ambiente.

    "

    O principal objetivo da lei é estimular a população a adotar outras alternativas para transportar as compras que não seja o plástico, como as sacolas reutilizáveis ou caixas de papelão. Nesse momento, é importante que os supermercados e os clientes comecem se adaptar a essa realidade mais sustentável "

    , ressalta.

     

    Para Daniel, após o período de adaptação, a população vai compreender a importância desse ato e passará a adotar outras alternativas na hora de ir às compras.

    “Essa medida trará inúmeros benefícios para o meio ambiente. Nossos igarapés estão repletos de plásticos, que levam centenas de anos para se decompor. Com a redução do uso, milhares de toneladas de plástico deixarão de prejudicar o ecossistema”, afirmou.

     

    Sacolas reutilizáveis podem ser alternativas
    Sacolas reutilizáveis podem ser alternativas | Foto: Brayan Riker

    Ao EM TEMPO, diferentes redes de supermercados que atuam na capital informaram que vão cobrar a partir desta sexta-feira, entre R$ 0,10 e R$ 0,30 para cada saco plástico, atendendo à determinação municipal.

    Tempo para decomposição

      Você lembra qual foi a primeira vez que usou uma sacola plástica? Não importa, ela ainda deve estar ocupando espaço em algum lugar do planeta. Segundo especialistas, esses materiais demoram mais de 100 anos para se decomporem, e ainda prejudicam o meio ambiente liberando gás carbônico, um dos maiores causadores do efeito estufa no planeta.  

    Conforme reportagem do EM TEMPO realizada em junho,  a enchente histórica de 2021 trouxe luz ao gravíssimo problema ambiental: toneladas de lixo, especialmente sacos plásticos, foram retirados dos leitos das águas fluviais que cercam a cidade mais populosa da Amazônia. 

     

    Clientes levam produtos em caixas de papelão
    Clientes levam produtos em caixas de papelão | Foto: Brayan Riker

    Adaptação à nova realidade

    Segundo a dona de casa Soraia Costa, de 42 anos, a iniciativa é boa, mas está preocupada se a medida vai pesar no bolso. "Eu mesma quando vou à feira, já levo uma sacola retornável e trago um ou outro alimento. Agora ir ao supermercado é mais complicado, porque o volume de compras é maior e geralmente encontro muita dificuldade para encontrar caixas. O que eu espero é que os preços das sacolas plásticas, que passaram a ser comercializadas, não sejam tão caros", explica. 

     

    Sacos plásticos começaram a ser cobrados em Manaus
    Sacos plásticos começaram a ser cobrados em Manaus | Foto: Brayan Riker

    Por outro lado, Soraia elogia a iniciativa, especialmente, por evitar o aumento da poluição. "Eu acho que as pessoas abusavam muito dos sacos plásticos, para qualquer compra que você ia fazer, voltava cheio deles para casa, e isso tudo ia parar no lixo, aumentando a quantidade de resíduos na nossa cidade", afirma. 

    Leia mais

    Manaus inaugura 1ª local para destinação de lixo eletroeletrônico

    Parque do Mindu recebe manhã literária com escritores nacionais

    Reino Unido pode investir R$ 3,6 trilhões em projetos verdes no Brasil



    • Sacos plásticos serão comercializados por valores que variam entre R$0,10 e R$0,35 a unidade | Foto: Brayan Riker
    • | Foto: Brayan Riker
    • | Foto: Brayan Riker
    • Sacolas reutilizáveis podem ser alternativas | Foto: Brayan Riker
    • | Foto: Brayan Riker
    • Sacos plásticos começaram a ser cobrados em Manaus | Foto: Brayan Riker
    • Clientes levam produtos em caixas de papelão | Foto: Brayan Riker
    • | Foto: Brayan Riker
    • | Foto: Brayan Riker
    • | Foto: Brayan Riker
    • | Foto: Brayan Riker
    • | Foto: Brayan Riker
    • | Foto: Brayan Riker
    • | Foto: Brayan Riker