Fonte: OpenWeather

    Ressocialização


    Seap inicia formação para novos monitores de ressocialização no AM

    Qualificação terá duração de 30 dias e conta com 60 alunos

     

    A capacitação visa preparar e qualificar o público participante para atuar dentro das unidades prisionais do Amazonas
    A capacitação visa preparar e qualificar o público participante para atuar dentro das unidades prisionais do Amazonas | Foto: Reprodução

    Manaus (AM) - A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) começou, nesta segunda-feira (29), o curso de formação inicial para novos monitores de ressocialização. A capacitação visa preparar e qualificar o público participante para atuar dentro das unidades prisionais do Estado com segurança e conhecimento.

      Com uma carga horária total de 144 horas, a qualificação inicial dos novos monitores conta com 60 alunos e será dividida entre aulas práticas e teóricas que abordarão conteúdos sobre noções básicas da Lei de Execução Penal (LEP) e de inteligência penitenciária; relações interpessoais e ética profissional, além de Saúde e Segurança do Trabalho e Defesa Pessoal.  

    O curso está sendo ministrado na Universidade Estácio de Sá, no bairro Chapada, Zona sul de Manaus, por profissionais que atuam na área da segurança prisional e serviço social. Durante as aulas práticas, os alunos se deslocarão até as unidades prisionais para compreender melhor o funcionamento dos locais e a rotina de trabalho.

    Presente na abertura de hoje, o secretário executivo adjunto da Seap, coronel André Luiz Barros Gioia, destacou a qualidade do curso.

    "

    Aqui essas pessoas irão aprender com exatidão como se comportar e como funciona o trabalho que a gente vem desenvolvendo dentro do sistema prisional. Também irão receber orientações e conhecer todos os protocolos de segurança que hoje estão em curso nas unidades. Espero que a capacitação seja um sucesso e que eles aprendam tudo o que for possível "

    , observa.

     

    “É gratificante poder contar com os profissionais capacitados, afinal, a rotina penitenciária exige muito foco e treinamento tático de segurança, mas também exige que o profissional seja ético e tenha empatia, auxiliando em todo o processo de ressocialização dos apenados – o que, para o nosso modelo de gestão, é de extrema importância”, declara Alexandre Calixto, gerente de ressocialização da New Life.

    Reforço

    Inicialmente, os novos monitores que estão em formação serão contratados, ao final da capacitação, pela New Life, para atuar nas unidades prisionais cogeridas pela empresa que são os Centros de Detenção Provisória de Manaus 1 e 2 (CDPMs 1 e 2). Além dessas, com a formação completa, eles também poderão ser encaminhados para trabalhar em outras unidades prisionais da capital.

    *Com informações da assessoria. 

    Leia mais 

    Detentos realizam trabalhos de limpeza na orla de Humaitá, no AM

    Mão de obra carcerária atua em trabalhos de construção pública

    Seap e Sebrae realizam nova rodada de oficinas sobre Empreendedorismo