Fonte: OpenWeather

    Perda


    Morre jornalista Lerron Santiago, aos 63 anos, em Manaus

    Um dos bordões que, certamente, marcou sua carreira foi: “Se você não quer que seu nome apareça, não deixe que o fato aconteça. Polícia é notícia"

     

    Lerron tinha anos de profissão no jornalismo amazonense
    Lerron tinha anos de profissão no jornalismo amazonense | Foto: Divulgação

    Manaus (AM) - Os profissionais de comunicação do Amazonas estão em luto. Lerron Santiago, de 63 anos, radialista e repórter policial morreu, na noite desta quarta-feira (8). Ele lutava contra um câncer e deu entrada no Hospital e Pronto-Socorro Platão Araújo, na zona Leste de Manaus, com falta de ar, recebeu atendimento na reanimação, mas acabou não resistindo.

    A despedida do comunicador está acontecendo na rádio "Voz das Comunidades", na rua 36, bairro Mutirão, zona Leste da capital, nas proximidades de um posto de saúde. 

    Lamento

    Por meio de nota, o Governador Wilson Lima lamentou a morte do profissional.

    "O Governo do Amazonas lamenta o falecimento, na noite desta quarta-feira (08/12), do repórter Lerron Santiago. Figura reconhecida no jornalismo amazonense, dedicou a maior parte da sua carreira às coberturas policiais. 

    Era natural de Belém (PA), onde iniciou carreira. Passou por diversos veículos de comunicação no Amazonas, como a extinta Rádio Baré, e também no Estado do Amapá. Atualmente apresentava o programa Patrulha da Cidade, na Rádio Comunitária a Voz das Comunidades.

    Neste momento de luto e saudade, o Governo do Amazonas se solidariza à esposa de Lerron Santiago, Marlucia Fernandes, demais familiares e amigos", afirmou. 

    Trajetória

    Um colega querido entre jornalistas, radialistas e até por lideranças comunitárias, Lerron Santiago deu sua parcela de contribuição ajudando a construir a comunicação no Amazonas por meio de sua passagem em diversos veículos de comunicação.

    Iniciou sua atuação na década de 70, com grande vocação para o jornalismo policial. Passou pelas rádios “Clube” de Belém, “Educadora” e “São José”, de Macapá no Amapá e chegou a Manaus na década de 80, trabalhando na Rádio Baré. De lá para cá, consolidou uma carreira de respeito e credibilidade na imprensa amazonense.

    Nos anos 90, fez sucesso no programa “Canal Livre”, dos irmãos Souza, que foi fenômeno de audiência no Estado, por meio de reportagens policiais.

    Lerron era servidor efetivo da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALEAM) e, desde 2020, atuava com sucesso em reportagens policiais em portais conhecidos de Manaus. Como radialista, o comunicador também comandava o programa “Patrulha da Cidade”, na rádio comunitária “A Voz das Comunidades”.

    Um dos bordões que, certamente, marcou sua carreira foi  “Se você não quer que seu nome apareça, não deixe que o fato aconteça. Polícia é notícia!’’, como fechava suas matérias. 

    Leia mais:

    Vítima de doença da urina preta faleceu dias antes do seu aniversário

    Choro de cantores em shows por morte de Marília mostra fase do luto

    Otávio Raman Neves, dono do Amazonas Em Tempo, morre aos 64 anos