Fonte: OpenWeather

    Alerta


    Golpes persistem e ainda há quem caia neles; veja como evitá-los

    O golpe, geralmente, é premeditado e organizado por estelionatários que agem em várias plataformas

    Vítimas sentem vergonha de relatar casos à polícia | Foto: Marcio Melo

    Manaus - O medo de cair em algum golpe existe e tem sido ampliado, principalmente, após o aumento no uso contínuo da internet. Esse tipo de crime é premeditado e organizado por estelionatários que agem em várias plataformas. Dentro ou fora do mundo cibernético, ainda há quem seja enganado pela "lábia" dos golpistas. Em Manaus, muitos casos ainda são registrados pela Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd). 

    De acordo o delegado Adriano Félix, os estelionatários não encontram dificuldades para enganar as vítimas, eles têm facilidade em manipular as pessoas. Ele alertou para o desenvolvimento das táticas criminosas nos últimos anos quando o assunto é golpe.

    "

    Os golpistas estão se adequando ao cenário atual, onde o registro de golpes mais comuns tem acontecido pela internet. "

    Adriano Félix, delegado da DERFD


    Sonho da viagem frustrado

    O sonho da viagem pode ser frustrado e os viajantes têm que tomar cuidado
    O sonho da viagem pode ser frustrado e os viajantes têm que tomar cuidado | Foto: divulgação


    O sonho de viajar com a família nas férias é um dos principais atrativos para a atuação do golpista, que encontra no desejo da vítima um potencial para "se dar bem". É comum encontrarmos relatos nas redes sociais de pessoas que foram vítimas desse tipo de crime, principalmente, após serem atraídas por promoções vantajosas de passagens aéreas.

    "Supostas agências de passagens aéreas existem na cidade e os golpes desse tipo acontecem principalmente na internet. Recebi um caso desses e as vítimas relataram que encontraram o local pela web. Porém, depois de um mês, os caras, que negociaram as passagens, sumiram. Eles alugam um local físico, com o objetivo de enganar quem pretende confirmar a existência da agência. Enganam várias pessoas e depois abandonam o escritório de fachada.  Depois disso, nenhum cliente encontra os vendedores ou proprietários da agência. Nossa equipe segue investigando esses casos", disse o delegado.

    Venda de terrenos

    Outro caso comum de enganação é a venda de terrenos fantasmas. Adriano disse que teve conhecimento de venda de terrenos em alguns locais da cidade. Os golpistas desse tipo de caso se aproveitam das pessoas que buscam adquirir a casa própria.

    "Muitos locais desses são anunciados na OLX, esse aplicativo é um local recheado de golpes. Claro, existem as propostas sérias, mas o golpista consegue usar a internet para agir de má fé com quem ainda tem esperança de adquirir um imóvel. As pessoas até chegam a visitar o local onde, provavelmente, é o terreno, repassam o dinheiro para os estelionatários e quando vão ao local para tomar posse, descobrem que o lote já tinha dono", explicou Adriano.

    Félix ressaltou que as pessoas devem ter muito cuidado antes de comprar algo, seja pela internet ou fisicamente.

    Delegado disse em entrevista que os crimes estão mais comuns pela internet
    Delegado disse em entrevista que os crimes estão mais comuns pela internet | Foto: Marcely Gomes


    Golpes conhecidos, mas ainda praticados

    Alguns velhos golpes ainda são praticados até hoje. Geralmente, as vítimas são atraídas pela vantagem, como acontece na "baluda" e no "bilhete premiado".

    Segundo Félix, no golpe da baluda, a vítima é atraída por um volume grande de "dinheiro", só que falso. Para enganar a vítima, o estelionatário coloca notas verdadeiras na frente das falsas e, geralmente, aborda a vítima em um local com muito movimento.

    Ele diz que está sem tempo e que precisa realizar uma transferência. Ele oferece o dinheiro vivo em troca que a pessoa faça a transferência para sua conta e, quando a pessoa vai contar o dinheiro, descobre que caiu num golpe, pois apenas as primeiras notas do 'bolo de dinheiro' são verdadeiras.


     "Atualmente é difícil encontrar algum registro de alguém que tenha caído no golpe da baluda ou bilhete premiado, mas os golpes ainda acontecem sim. Nós estamos tendo mais registros de crimes pela internet. Os criminosos estão preferindo agir pela internet já que a vítima leva um tempo para confirmar a veracidade das propostas", informou o delegado.

    Confira outros tipos de golpes praticados. Fique atento para não ser mais uma vítima:

    Golpes - Infográfico

    O sonho da Casa Própria destruído

    A universitária Paula Santos, de 25 anos, foi enganada por uma mulher com nome de Maria, que se apresentou como funcionária da Superintendência Estadual de Habitação (Suhab) e prometeu facilitar a aquisição de uma das casas habitacionais oferecidas pelo órgão para famílias de baixa renda em troca de uma "merenda" (termo utilizado para propina). Segundo a jovem, ela conheceu a estelionatária após uma conversa em um grupo de WhatsApp. Amigos falaram que a mulher trabalhava na Suhab e que estava ajudando algumas pessoas a conseguirem que seus processos no órgão fossem passados "na frente" de outros.

    "Me passaram o contato e depois eu e meu esposo fomos até o local onde supostamente a mulher morava. Ela pegou a xerox do nosso documento e disse que precisaria de R$ 3 mil para prosseguimento ao processo e segurar o apartamento onde nós iriamos morar. Segundo ela, a habitação ficava próximo da avenida Max Teixeira, no bairro Cidade Nova", relatou a universitária que após entregar o dinheiro e não receber notícias da servidora pública, a procurou no endereço onde ocorreu o encontro e o local estava vazio.

    "Quando procurado ela na data marcada, em dezembro do ano passado, não a encontramos O local onde fomos conhecê-la estava vazio e ninguém sabia dizer para onde a mulher tinha ido", explicou Paula.

    De acordo com a jovem, ela não registrou o Boletim de Ocorrência (B.O) por vergonha de ter sido enganada, além de ter ciência que pagar propina para ter "facilidades" em qualquer processo público é crime.

    População deve ter mais cuidado na hora de comprar na internet
    População deve ter mais cuidado na hora de comprar na internet | Foto: Ione Moreno


    Falso empréstimo 

    A dona de casa Fabiane Coelho da Silva, de 34 anos, e a namorada foram enganadas depois que tentaram conseguir um empréstimo pela internet. Elas procuraram ajuda para pagar dívidas em atraso em um site que oferecia inúmeras vantagens. Segundo a vítima, um homem, que se identificou como Alex Aguiar e mora em São Paulo, entrou em contato com elas via WhatsApp. Ele pediu foto dos documentos das vítimas e falou das condições para a concessão do empréstimo.

    "Quando falamos com ele informamos o valor que queríamos. Depois disso ele falou que era necessário a transferência de R$ 300 para pagar as taxas contratuais do cartório e também uma forma de segurança para a empresa disponibilizar o dinheiro. Ele ainda falou que depois de uma ou duas horas a quantia solicitada seria depositada na minha conta. Nós realizamos a transferência e, cerca de 55 minutos depois, ele pediu mais R$ 700. Nesse momento percebemos que caímos em um golpe",  explicou Fabiane.

    Conforme a vítima, ela e a namorada ainda entraram em contato com o estelionatário pelo aplicativo de mensagens, mas foram bloqueadas. Elas não registraram o BO porque também tiveram vergonha de relatar que foram enganadas. 

    Edição: Bruna Souza