Fonte: OpenWeather

    Reforço escolar


    Plataforma digital oferece reforço escolar gratuito para crianças

    As vídeo-aulas também estão sendo utilizadas como ferramenta complementar de ensino em várias escolas do país

     

    São vídeo-aulas criativas, interativas, divertidas, lúdicas, que aprimoraram o desenvolvimento dos alunos e suas habilidades socioemocionais
    São vídeo-aulas criativas, interativas, divertidas, lúdicas, que aprimoraram o desenvolvimento dos alunos e suas habilidades socioemocionais | Foto: Divulgação

    O projeto social "Minha Escolinha Online" é uma plataforma gratuita de ensino e reforço escolar voltada para a educação infantil de crianças de 2 a 8 anos de idade.

    A iniciativa é do empreendedor Janguiê Diniz, fundador do grupo Ser Educacional e presidente do Instituto Êxito de Empreendedorismo.

    A plataforma já possui mais de 25 mil crianças matriculadas no Brasil e no exterior. O acesso à ferramenta e a matrícula podem ser feitos na página do projeto na internet.

    Clique aqui para conhecer

    A plataforma possui quase mil aulas e conta com mais de 200 aulas por série, desenvolvidas com uma grande diversidade de conteúdos, abrangendo todos os eixos temáticos que as crianças aprendem na escola.

    São vídeo-aulas criativas, interativas, divertidas, lúdicas, que aprimoraram o desenvolvimento dos alunos e suas habilidades socioemocionais. E também possui exercícios práticos com joguinhos educacionais, atividades gamificadas e caderno de atividades para baixar e imprimir.

    Escolas e educadores que desejarem utilizar o conteúdo da plataforma em suas aulas e como reforço escolar, também podem entrar em contato com o diretor Hebert Bouzon, no site do projeto social.

    As vídeo-aulas também estão sendo utilizadas como ferramenta complementar de ensino em várias escolas do país.

    Leia mais:

    MEC quer levar ensino integral aos anos finais do ensino fundamental 

    Crianças de Presidente Figueiredo sofrem com atraso na merenda escolar 

    Parlamentares apontam dificuldades na educação após pandemia