Fonte: OpenWeather

    DESTAQUES


    Escolas da rede estadual do AM são destaques na Feira STEM Brasil

    Duas escolas estaduais de tempo integral de Manaus e duas do interior do estado foram destaques no evento

     

    Com o projeto “Formiga Tucandeira”, a EETI Maria Madalena Santana de Lima alcançou o 3º lugar
    Com o projeto “Formiga Tucandeira”, a EETI Maria Madalena Santana de Lima alcançou o 3º lugar | Foto: Arquivo pessoal

    Manaus (AM) - Quatro Escolas Estaduais de Tempo Integral (EETI) do Amazonas foram destaques na Feira Stem Brasil, que visa buscar soluções para problemas de dentro e fora da escola.

    Em Manaus, as escolas vencedoras foram a EETI Profª Lecita Fonseca Ramos e a EETI Maria Madalena Santana De Lima.

    No interior, as vencedoras foram a EETI Manuel Vicente, de Coari; e a EETI Nossa Senhora de Nazaré, em Manacapuru.

    Campeã na categoria voto popular, a EETI Profª Lecita Fonseca Ramos apresentou o projeto “Produção de Hidratante de Macassá (Aeollanthus suaveolens), uma Atividade Empreendedora e de Práticas Experimentais”.

    A aluna Kemily Araújo explica que macassá ou catinga-de-mulata, é uma planta alimentícia não convencional (Panc), e despertou o interesse da comunidade escolar.

    "

    Nós buscamos unir os conhecimentos de ciências da natureza e matemática à nossa prática no cultivo de plantas na horta da nossa escola, e assim criamos um produto que consiste na propagação da planta, extração de hidrolato e essência, produção do hidratante, coleta de dados quanto a qualidade do produto e pesquisa por patente. "

    Kemily Araújo, estudante

     

    Com o projeto “Formiga Tucandeira”, a EETI Maria Madalena Santana de Lima alcançou o 3º lugar na categoria AIOTI. O produto foi criado para simular o movimento robótico e modelagem da tucandeira.

    Para isso, foi necessário fazer uso de conhecimento acerca dos componentes e dos instrumentos eletrônicos, bem como dos princípios das Ciências da Natureza.

      Por fim, a parte seguinte apresentou estratégias que propõem uma aprendizagem criativa, curiosa e protagonista, buscando estabelecer conexões construcionistas entre o planejamento e a execução da pesquisa.  

    Interior do AM 

    A EETI Nossa Senhora de Nazaré, situada no município de Manacapuru, a 68 quilômetros da capital, foi a campeã no prêmio EVOLTZ de inovação e também ficou em primeiro lugar na categoria Inovação.

    O projeto responsável pela seleção foi o “Protótipo de sistema AntiCovid-19 no ambiente escolar com sistema Arduino AC-19”.

    Ao todo, cinco alunos do Ensino Médio participaram e desenvolveram três dispositivos: uma pulseira com sensor, que informa possíveis infecções por meio da temperatura corporal; um dispenser automático de álcool em gel com sensor de aproximação; e um aferidor de temperatura com termistor de distância acoplado, instalado na entrada da instituição.

    Dessa forma, a equipe da EE Nossa Senhora de Nazaré poderá aplicar os principais protocolos de saúde sem precisar do contato físico entre seus integrantes.

    "

    Criamos esses protótipos para que funcionassem sem a necessidade do contato humano, para fazer com que as medidas de segurança fossem cumpridas de maneira ainda mais segura. "

    Galileu Pires, professor de Biologia e um dos orientadores do projeto

     

    A EETI Manuel Vicente, localizada no município de Coari, a 363 quilômetros de Manaus, ficou em 1º lugar na categoria Cidade Sustentável com a “Micro Estação de Tratamento” e 2º lugar na categoria Invenções e Inovações, com o projeto “A utilização de substâncias naturais na coloração de núcleo celular”.

    A aluna Rhuana Viana Fragoso, conta que a microestação de tratamento deixou água potável com um custo muito baixo, de acordo com os materiais usados para a pesquisa.

    "

    A nossa iniciativa tem a proposta de auxiliar famílias que não possuem o tratamento de água potável, visto que essa é uma realidade muito frequente para a população ribeirinha do estado. "

    Rhuana Viana Fragoso, estudante

     

    Já o projeto “A utilização de substâncias naturais na coloração de núcleo celular” propõe o uso de substâncias naturais encontradas com fartura na cidade de Coari, como beterraba (Beta sp.), urucum (Bixa orellana), cenoura (Daucus carota), pau-rosa e preciosa (Aniba sp.), açaí (Euterpe oleracea), goiaba (Psidium sp.), bacaba (Oenocarpus bacaba), e caju (Anacardium occidentale), usado na tentativa de conseguir um corante de núcleo de células vegetais de baixo custo.

    Leia mais:

    UEA inaugura complexo de laboratórios da Academia STEM

    Professor transforma escola em referência nas competições científicas

    Inscrições abertas para o 'Prêmio Respostas para o Amanhã'