Fonte: OpenWeather

    Inovação e tecnologia


    Prefeito assina com empresa para criação do Polo Digital de Manaus

    Novo polo tecnológico terá sede no antigo hotel Cassina, no Centro Histórico; prédio passará por restauração orçada em R$ 9 milhões

    Expectativa é que Polo Digital de Manaus comece a funcionar ainda em 2020 | Foto: Marcio James/Semcom

    Manaus - Mais um passo foi dado em direção à concretização do Polo Digital de Manaus (PDM). Na tarde dessa quarta-feira (22), o prefeito de Manaus, Arthur Neto, assinou contrato com a empresa de consultoria em cenários estratégicos Porto Marinho, que será responsável pela implementação do parque de inovação e tecnologia na capital amazonense. A expectativa, segundo o gestor municipal, é que o polo tecnológico comece a funcionar ainda em 2020.

    "Queremos entregar o polo para jovens empreendedores e startups com alta tecnologia para mostrarmos que queremos um futuro 4.0, onde os jovens têm oportunidade de criar e, quem sabe, surja daqui o nosso próprio Bill Gates", declarou o prefeito durante a cerimônia de assinatura. 

    A sede do Polo Digital será no antigo hotel Cassina, no Centro Histórico, e deve abrigar empresas e startups de inovação. Em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o prédio passará por uma restauração orçada em R$ 9 milhões.

    Segundo o prefeito, o próximo passo é buscar parcerias com universidades e outras instituições para fortalecer o projeto.

    "Não queremos fazer nada sozinhos. Vamos trabalhar em conjunto com quem pode nos ensinar, tudo para que o polo possa funcionar ainda em 2020", disse.

    O prefeito também destacou a criação do pacote de Leis Municipais, entre elas a lei nº2.565, que fomenta e incentiva a criação do PDM para atração de startups. Para ele, a escolha de um prédio histórico como sede do polo e as vantagens tributárias para quem investir na região devem revitalizar o Centro Histórico.

    "Fizemos um pacote fiscal que isenta de impostos todos que contratarem empresas sediadas no Centro. Estamos tentando trazer atividade comercial, reabilitação, valorização de imóveis e vida para o Centro", completou Arthur Neto.

    Cerimônia de assinatura aconteceu no Palácio Rio branco, no Centro Histórico
    Cerimônia de assinatura aconteceu no Palácio Rio branco, no Centro Histórico | Foto: Marcio James/Semcom

    'Palácio das startups'

    O contrato com a Porto Marinho custa R$ 309 mil e terá duração de 12 meses. A empresa é responsável pela criação do Porto Digital de Recife, um dos principais do segmento no Brasil, que abriga 300 empresas e gera mais de 9 mil empregos na capital pernambucana.

    Para o diretor da empresa, Cláudio Marinho, Manaus tem uma vantagem que a maioria das cidades brasileiras não tem: as possibilidades de financiamento no segmento de inovação. 

    "A situação gerada pelo Polo Industrial de Manaus em termos da Lei de Informática permite o financiamento ao desenvolvimento de produtos e serviços inovadores que nenhuma outra cidade tem. Manaus precisa aproveitar essa oportunidade", afirmou o diretor. 

    "Manaus possui uma base industrial fantástica que precisa fazer a migração para economia digital. Estamos aqui para desenvolver uma estratégia de distrito de inovação, começando pelo hotel Cassina, que será o palácio das startups. Ele vem de um passado da riqueza da borracha para um futuro baseado na economia digital", declarou.

    Apoio da Suframa

    O titular da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), coronel Alfredo Menezes, reafirmou o apoio do órgão ao desenvolvimento do Polo Digital, e reforçou as expectativas econômicas que o projeto trará para Manaus e o Estado.  

    "Parabenizamos o prefeito pela visão de estadista e pela equipe que construiu essa ideia, assim como a contratação de uma empresa que tem expertise na área. Em Pernambuco, eles têm uma movimentação de R$ 3 bilhões com o polo digital deles. Imaginem isso entrando na economia do Estado e da cidade nos próximos cinco anos", prospectou o superintendente.

    O PDM também deve impactar de forma positiva na indústria e empregos locais, de acordo com Menezes.

    "Esse polo vem reforçar e contribuir para o avanço do polo industrial, trazendo um ambiente de negócios inovador, que vai contribuir na valorização da mão de obra. Isso porque a tecnologia eleva o valor da mão de obra", finalizou.