Fonte: OpenWeather

    Inovação


    Startup Amazonense ganha visto para operar na Estônia

    Meritocracity desenvolve indicadores dos servidores público a partir da mensuração da experiência do usuário dentro do serviço público

    A startup é formada por quatro membros, Alessandre Martins, Lucas Prado, Romeu Guedes e João Victor | Foto: Divulgação

    Manaus – Uma startup manauara produz dados e indicadores de desempenho dos servidores públicos a partir da experiência dos usuários com serviços. O objetivo de auxiliar os gestores na tomada decisão, foi selecionada pelo Tech Startup Legal Clinic, um programa da Universidade de Tartu, para operar na Estônia e desenvolver atividades para um dos países que possuem a economia mais moderna do mundo.

    A Meritocracity é uma govtech, criada em 2018, durante o 1º Ocean Challenge Data Science Edition, uma maratona de programação realizada pelo Instituto Samsung Ocean da Universidade Estadual do Amazonas (UEA) que propõe a gerar dados e indicadores dos servidores público a partir da mensuração da experiência do usuário dentro do serviço público, e esse usuário pode ser tanto o servidor público quanto também o cidadão.

    A startup é formada por quatro membros, Alessandre Martins, Lucas Prado, Romeu Guedes e João Victor que receberam o visto para operar na Estônia, após a empresa ser selecionada pelo Tech Startup Legal Clinic, para receber a consultoria necessária para participar do programa Startup Visa e adequar-se ao Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD) da União Europeia. Segundo o CEO da empresa João Victor,

    “O mercado govthec no Brasil ainda é muito difícil, já para os cenários europeus e norte-americanos isso muda, lá nós entramos em uma questão culturais, mas tudo que a gente colheu até hoje se dá pelo fato das pessoas se identificarem e acreditarem na Meriticracity, confiarem nas pessoas que tocam a empresa e fazem tudo acontecer, sabemos que a partir desse momento nós entramos em um novo desafio, que é muito grande para gente, mas isso é uma conquista coletiva”, explicou João.

    Para o CEO, o objetivo da empresa é sair do obvio e investir em ações que tragam impacto social e melhorem as experiências da população.

    “Muitas empresas se recusam a trabalhar com gestão pública devido as dificuldades que elas apresentam, mas a Meritocracity não vê assim, nosso trabalho envolve muito aprimoramento. Atualmente, estamos alinhados com os objetivos sustentáveis da ONU, o ODS 16 que resume muito do que a gente acredita, que é melhorar o cotidiano a nossa volta de alguma forma”, explicou o CEO.

    O Startup Visa funciona como uma espécie de Visto Estoniano para startups que queiram operar no país, que integra a União Europeia. Lançado em 2017 pelo Ministério do Interior da Estônia, ele permite que cidadãos de fora da UE trabalhem para startups estonianas, realoquem suas startups já existentes ou encontrarem novas oportunidades de negócios no país. 

    Devido a pandemia ocasionada pelo Coronavírus a mudança da Meritocracity para Estônia precisou ser adiada para o ano que vem, mas o planejamento da empresa continua e os representantes afirmam que antes da mudança acontecer eles pretendam melhorar o cenário amazonense.

    “A nossa trajetória começou para melhorar o cenário público de Manaus. Então a gente acredita que depois que isso tudo passar, a nossa cidade vai precisar ser restruturada em muitos aspectos e por isso, o objetivo é ficar aqui até que a nossa colaboração com a sociedade tenha sido concluída e só depois mudar para a Estônia”, ressaltou João.

    No Brasil, existem aproximadamente 11,5 milhões de servidores públicos e segundo os representantes para algumas empresas esse é número é visto como problemas, mas para eles, são 11,5 milhões de soluções

    A empresa desenvolve um sistema de avaliação periódica de desempenho nomeada de avaliação 3D. Com a avaliação é possível reconhecer e valorizar o lado humano da gestão pública.

     “Nossa plataforma busca motivar os servidores e reconhecê-los pelos seus próprios méritos, a Meritocracity é voltada para os três eixos da gestão pública, o cidadão; que é onde a gente desenvolve meios de ele ser mais ativo na gestão, gestores; que trabalhe com base na análise de pessoas e para os servidores; que busca fazer com que todos observem e entendam o desempenho de cada um”, explicou.

    A empresa busca fazer com que os gestores do sistema trabalhem com base de dados para retirar o achismo na hora de implantar medidas que trarão resultados para a equipe.

    “O grande diferencial que Meritocracity tem ao ser instalada dentro do órgão público é trabalha com dados que ajudem o sistema a evoluir, por meio da nossa plataforma todos os eixos são avaliados inclusive o órgão, além de ser oferecido uma autoavaliação a todos que trabalham na gestão”, finalizou o CEO. 

    Basicamente, a Meriticracity auxilia a gestão pública por meio do mapeamento de valor público, gamificação no serviço público, gestão pública orientada por dados, economia de tempo e recursos e a cidadania em rede.