Fonte: OpenWeather

    energia elétrica


    Ufam estuda mandioca, cupuaçu e babaçu como fontes de energia elétrica

    São alternativas para o abastecimento de energia em comunidades isoladas, sobretudo, na região amazônica

     

    No Brasil, há vegetais com grande potencial para a produção de energia elétrica ou térmica
    No Brasil, há vegetais com grande potencial para a produção de energia elétrica ou térmica | Foto: Reprodução

    MANAUS (AM)- As biomassas são  matérias orgânicas de origem vegetal ou animal usadas com a finalidade de produzir energia. Por isso, o Centro de Desenvolvimento Energético Amazônico da Universidade Federal do Amazonas (CDEAM/Ufam) desenvolve estudos sobre diferentes biomassas, a exemplo da mandioca, casca do cupuaçu, casca de castanha do Brasil e o babaçu como fontes de energia elétrica ou térmica.

    São alternativas para o abastecimento de energia em comunidades isoladas, sobretudo, na região amazônica.

    No Brasil, há vegetais com grande potencial para a produção de energia elétrica ou térmica como cana de açúcar,  azeite de dendê (óleo de palma), buriti, mandioca, babaçu, cupuaçu, andiroba, entre outros.

    De acordo com o diretor do CDEAM/Ufam, professor Rubem Cesar Rodrigues Souza, para falar da relevância do uso desses recursos é preciso entender que energia é meio e não fim, ou seja, não basta fornecer eletricidade é preciso ter uma estratégia clara de desenvolvimento local.

    "

    Ao se produzir energia elétrica com biomassa se gera emprego próximo ao local de consumo da energia, ajudando a fixar o homem no campo, com dignidade e com perspectiva de desenvolvimento local. Além disso, a produção local de energia evita o custo de transporte de combustível diferentemente do que acontece com o óleo diesel. É importante lembrar também que o uso de recursos de biomassa contribui para reduzir o aquecimento global e seus danos consequentes "

    Rubem Cesar Rodrigues, professor e diretor do CDEAM/Ufam

     

    Mandioca

    A mandioca pode ser utilizada para produção de bioetanol (álcool). O bioetanol pode ser queimado diretamente para produzir calor ou ser usado em motores à álcool, tanto para fins automotivos quanto em grupos geradores para geração de eletricidade.

    O vinhoto, subproduto da produção de bioetanol, pode ser utilizado para recuperar as características do solo onde é plantada a mandioca, ou então, para produção de biogás. O biogás, por sua vez, pode ser utilizado para acionar um fogão a gás, uma geladeira a gás ou então, um grupo gerador à gás e produzir eletricidade.

    Casca de Cupuaçu

    A casca do cupuaçu pode ser utilizada em um equipamento chamado de gaseificador. A casca é colocada no equipamento que, a partir da queima controlada, produzirá um gás combustível. Esse gás combustível pode ser queimado diretamente para produzir calor ou então, após passar por um sistema de filtragem, acionar um grupo gerador e produzir eletricidade.

    Babaçu

    O babaçu pode ser separado em dois tipos de materiais energéticos, a casca e o óleo. A casca pode ser queimada em um gaseificador para produção de eletricidade. Por sua vez, o óleo pode ser utilizado na produção de biodiesel, que pode ser utilizado para produção de eletricidade em grupos geradores à diesel ou ser queimado diretamente para produção de calor.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Kits de Farinha impulsionam produção no Amazonas 

    Figueiredo não mais a "terra do cupuaçu" por falta de investimentos