Fonte: OpenWeather

    Sustentabilidade na Construção


    Sustentabilidade ganha espaço em projetos arquitetônicos

    A preocupação com questões que envolvem meio ambiente, sustentabilidade e conscientização ambiental de modo geral, além de contribuir com o meio ambiente, valoriza os imóveis

    Engenheiros Natalia Fernandes e Cleomir Mendonça defendem construções sustentáveis
    Engenheiros Natalia Fernandes e Cleomir Mendonça defendem construções sustentáveis | Foto: Divulgação

    A preocupação com questões que envolvem meio ambiente, sustentabilidade e conscientização ambiental de modo geral vem ganhando cada vez mais espaço na sociedade mundial. 

    A Engenharia e a arquitetura têm um papel fundamental para a realização desses projetos. As construções sustentáveis possuem características que diminuem o impacto ao meio ambiente, buscando eficiência e minimização de resíduos. Esse tipo de construção, além de valorizar os imóveis, pode gerar uma economia financeira, nos seguintes aspectos:

    As construções sustentáveis possuem características que diminuem o impacto ao meio ambiente, buscando eficiência e minimização de resíduos.
    As construções sustentáveis possuem características que diminuem o impacto ao meio ambiente, buscando eficiência e minimização de resíduos. | Foto: Reprodução

    Energia: A demanda por ar-condicionado e luz é minimizada pelo conforto térmico e aproveitamento da iluminação natural A instalação de painéis fotovoltaicos traz retorno financeiro a curto prazo, que aliado a escolha de eletrodomésticos de baixo consumo energético, representa grande economia financeira.

    Água: Através da implantação de sistemas de captação de água da chuva, ou reuso de água de lavanderia, por exemplo, para fins menos nobres (descarga, irrigação), é possível economizar em até 50% da conta de água, trazendo também retorno financeiro em pouco tempo.

    Padrões

    Nos EUA, por exemplo, não existe um programa nacional para o incentivo da construção sustentável, porém, já existem alguns padrões reconhecidos internacionalmente como a “LEED” (Leadership in Energy and Environmental Design), a “Green Build Initiative” e o “Archicteture 2030” cada um com seus próprios padrões de construções sustentáveis.

    No Brasil o Instituto para o Desenvolvimento da Habitação Ecológica ( IDHEA),  provê soluções para construções sustentáveis.

    Em 2007 um grande avanço na construção civil  foi proposto o Projeto de Lei 34/07 do deputado Cassio Taniguchi (PFL-PR) que prevê incentivos fiscais para as construções que utilizem práticas para reduzir o impacto ambiental; o Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS) que visa melhorar a qualidade de vida da população preservando seu  patrimônio ambiental

    Segundo o IDHEA há nove pontos para a construção ser considerada sustentável:

    Gestão sustentável da implantação da obra

    Consumir mínima quantidade de energia e água na implantação da obra e ao longo de sua vida útil

    Uso de matérias-primas ecoeficientes

    Gerar mínimo de resíduos e contaminação ao longo de sua vida útil

    Utilizar mínimo de terreno e integrar-se ao ambiente natural

    Não provocar ou reduzir impactos no entorno –paisagem, temperaturas e concentração de

    calor, sensação de bem-estar

    Adaptar-se às necessidades atuais e futuras dos usuários

    Criar um ambiente interior saudável (free VOCs/COVs)

    Proporcionar saúde e bem-estar aos usuários.  

    Contudo é muito importante que, tanto na fase de construção quanto na de uso, seu impacto ambiental seja reduzido ao mínimo possível para que seja evitados impactos ambientais para gerações futuras

    Leia mais:

    Vídeo: construção civil espera mercado aquecido em Manaus

    Em tempos de crise, reformas embalam o mercado de construção civil

    Sem crise: mercado de beleza cresce no Amazonas