Fonte: OpenWeather

    Meio-ambiente


    Amazônia: desmatamento em abril é o maior dos últimos dez anos

    Amazonas, Pará e Mato Grosso lideram ranking dos estados com maior área desmatada

     

    Dados do governo federal  também classificaram o mês de abril como o pior da série histórica.
    Dados do governo federal também classificaram o mês de abril como o pior da série histórica. | Foto: Araquém Alcântara


    Monitoramento extraoficial realizado pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) aponta que o desmatamento da Amazônia em abril atingiu 778 km², o maior valor para o mês registrado nos últimos dez anos.

    O valor também é 45% maior que o desmatamento registrado em abril de 2020, quando 536 km² de floresta amazônica foram devastados. O desmatamento amazônico também bateu recorde histórico em março, quando o Imazon registrou 810 km² de floresta devastado.

    No ranking dos estados com maior área desmatada estão: Amazonas (28%), Pará (26%), Mato Grosso (22%), Rondônia (16%), Roraima (5%), Maranhão (2%), Acre (1%).

      "Em Lábrea e Apuí, no Amazonas, municípios que lideram o ranking dos 10 que mais desmataram, houve perda de 126 km2 de floresta, o que representa quase 60% de todo o desmatamento do Estado detectado em abril”, afirmou a Imazon.  


    Os dados do governo federal, que usam outra metodologia e apontam as áreas sob alerta de desmatamento, também classificaram o mês de abril como o pior da série histórica.

    O monitoramento do Imazon é feito pelo Sistema de Alerta do Desmatamento (SAD), que monitora a região via satélites.

    Degradação

    Os dados do governo são processados pelo Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), do Inpe. Para o Deter, a área sob alerta de desmatamento na Amazônia Legal em abril foi a maior para o mês desde 2016: 581km² até o dia 29, segundo medição do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). É o segundo mês consecutivo em que os índices batem recordes históricos mensais.

    Os dados do Imazon apontam ainda o total de "florestas degradadas" na Amazônia Legal, que somaram 99 km² em abril, o que representa um aumento de 60% em relação ao mesmo mês no ano passado, quando a degradação detectada foi de 62 km². O estado do Mato Grosso concentra 75% da área de floresta degradada, seguido pelo Pará (24%) e Roraima (1%).

      "O Imazon classifica o desmatamento como o processo de realização do corte raso, que é a remoção completa da vegetação florestal. Na maioria das vezes, essa floresta é convertida em áreas de pasto. Já a degradação é caracterizada pela extração das árvores, normalmente para fins de comercialização da madeira", explica o instituto.  



    * Com informações do G1


    Leia Mais:


    Desmatamento furta cor de borboletas na Amazônia

    Especialistas e parlamentares cobram proteção ambiental para Amazônia

    MPF processa dono de fazenda desmatada no AM e aponta danos climáticos