Fonte: OpenWeather

    Pesquisa da Amazônia


    Pesquisa encontra plantas da Amazônia com potencial anticâncer

    Pesquisa na FCecon em Manaus encontra plantas da amazônia com potencial antitumoral contra células cancerígenas

    | Foto:

    Manaus - Uma pesquisa realizada pela Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), encontrou plantas da região amazônica com potencial citotóxico contra células tumorais de câncer de cólon, gástrico e de fígado.

    Denominado “Avaliação da citotoxicidade de extrato etanólicos, o trabalho marca uma nova linha de pesquisa intitulada “Biomoléculas em Oncologia” na unidade hospitalar, localizada em Manaus, implementada em 2019. O estudo analisa  moléculas com atividades antitumorais obtidas a partir de produtos naturais.

    Pesquisa estuda as atividades citotóxicas, antiangiogênicas e antioxidantes de plantas encontradas na Amazônia
    Pesquisa estuda as atividades citotóxicas, antiangiogênicas e antioxidantes de plantas encontradas na Amazônia | Foto: Divulgação

    A pesquisa foi realizada pela estudante do 7º período de Biomedicina da Universidade Nilton Lins, Lethicia do Nascimento Marinho, sob a coordenação da pesquisadora/FCecon e doutoranda em Bioquímica e Biologia Molecular pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Sthéfanny Caroline Mendes Azevedo.

    Pesquisa

    Conforme Sthéfanny Azevedo, o projeto é uma ramificação de seu trabalho de doutorado, que estuda as atividades citotóxicas, antiangiogênicas e antioxidantes de plantas encontradas na Amazônia, que são importantes no tratamento do câncer. Segundo ela, estão sendo testadas sete espécies de plantas, pertencentes às famílias Clusiaceae, Cannabaceae, Arecaceae, Euphorbiaceae e Urticaceae.

    “Até o momento, as análises se mostraram promissoras para uma das espécies, entretanto, ainda temos mais quatro a serem testadas, o que motivou a renovação do projeto por mais um ano .Trata-se de uma pesquisa que direciona o caminho a ser seguido nas próximas etapas do meu projeto de doutorado”, pontua Sthéfanny Azevedo.

    Segundo ela, após a conclusão dos ensaios biológicos, o próximo passo é o fracionamento dos extratos, seguido da separação, purificação e identificação das substâncias ativas.

    Colaboração

    A pesquisa contou com a colaboração do doutor em Biologia Vegetal do Museu da Amazônia (Musa), Bruno Sampaio Amorim; do professor do Instituto Federal do Amazonas (Ifam), doutor em Fitotecnia-Horticultura, Valdely Ferreira Kinupp; que forneceram informações sobre espécies de plantas com potencial antitumoral que ainda não haviam sido estudadas, baseando-se em estudos descritos na literatura científica, com espécies da mesma família.

    "

    “Tendo em vista que um dos problemas enfrentados no tratamento do câncer é a resistência dos tumores frente a agentes terapêuticos convencionais, a descoberta de novas substâncias com ação anticâncer é de extrema importância não só para a pesquisa dentro da FCecon, mas para a comunidade científica e para a sociedade. Posso dizer que somos pesquisadoras privilegiadas por podermos contar com a biodiversidade amazônica para trabalhar”, ressalta "

    Sthéfanny Azevedo., Pesquisadora

    Experiência

    De acordo com Lethicia Marinho, a vivência no Paic foi gratificante. Segundo ela, a participação no projeto e a rotina de pesquisa lhe permitiram crescer como pesquisadora. “Durante o programa, temos atividades de ensino, como palestras, mesas-redondas, cursos e treinamentos que nos fazem adquirir mais conhecimento e nos ajudam nas análises”, frisa.

    Os ensaios biológicos e químicos estão sendo realizados em parceria com o Laboratório do Grupo de Pesquisa Química Aplicada à Tecnologia (QAT) da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Laboratório de Atividade Biológica (Biophar) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e Laboratório de Bioprospecção e Biotecnologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (LABB/Inpa).

    A análise foi feita por meio do Programa de Apoio à Iniciação Científica (Paic), coordenado pela Diretoria de Ensino e Pesquisa (DEP/FCecon), e conta com apoio financeiro por meio de bolsas de pesquisa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

    Leia mais:

    www.emtempo.com.br/ultimas