Fonte: OpenWeather

    Ataque


    Irã nega estar envolvido no ataque à embaixada dos EUA no Iraque

    Manifestantes prometem continuar no local

    | Foto: AHMAD AL RUBAYE/AFP

    O governo do Irã negou, nesta quarta-feira (1º), estar envolvido no ataque à embaixada norte-americana em Bagdá que se iniciou na terça-feira. Em resposta às acusações dos EUA, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Abas Musaví, disse que o seu país está sendo alvo de “uma espécie de obscenidade americana e erros de cálculo repetitivos".

    Abas Musaví considerou que as acusações dos EUA contra o Irã são um insulto ao povo do Iraque.

    No Iraque, continua tenso o clima. Washington informou que vai reforçar a presença militar na região. Os manifestantes prometem não abandonar o local até que os Estados Unidos deixem o país.

    A coligação de grupos paramilitares pró-iranianos no Iraque "Le Hachd al-Chaabi" ordenou hoje aos seus partidários que abandonem o cerco complexo diplomático, mas uma das facções mais radicais recusa-se a cumprir a ordem.

    "Le Hachd" apelou em comunicado aos seus partidários que relocalizem o protesto para outra zona da cidade, mas o responsável da brigada do Hezbollah disse que os seus homens permanecerão no local.

    A França "condenou firmemente" o ataque à embaixada norte-americana e expressou "total solidariedade" com os Estados Unidos. A declaração foi feita pela ministra da Defesa francesa, Florence Parly.

    "A França condena firmemente os ataques perpetrados contra as instalações da Coligação Internacional no Iraque e as tentativas de intrusão no perímetro da embaixada norte-americana em Bagdá", disse.