Fonte: OpenWeather

    coronavírus


    Hospital confirma morte de médico que alertou mundo sobre coronavírus

    Médico Li Wenliang chegou a ser acusado de contar informações "ilegais e falsas" sobre o coronavírus

    Li Wenliang morreu infectado pelo coronavírus | Foto: Reprodução

    Um médico chinês que foi repreendido por "espalhar boatos" sobre o coronavírus antes do reconhecimento oficial do patógeno morreu na madrugada desta sexta-feira (horário da China), após ser infectado pelo vírus. A informação foi confirmado pelo hospital onde trabalhava.

    Li Wenliang, oftalmologista de um hospital em Wuhan, cidade no epicentro do surto, foi uma das oito pessoas repreendidas pela polícia da cidade no mês passado por divulgar informações "ilegais e falsas" sobre o coronavírus.

    O hospital de Wuhan, onde Li trabalhava, disse em um comunicado em sua conta no Weibo que ele morreu às 2h58, horário local, na sexta-feira. A informação sobre sua morte, mesmo antes de ser confirmada, gerou forte comoção nas redes sociais, onde aumentam as críticas à demora do governo chinês para reconhecer e combater a economia.

    Sua morte foi anunciada na quinta-feira pelo diretor Executivo de Emergências de Saúde da Organização Mundial de Saúde (OMS), Mike Ryan. O hospital, porém, afirmou que Li estava vivo, internado na UTI. A própria OMS, que fez um post em homenagem ao médico, não deixou claro qual foi sua fonte, creditando a informação a Ryan.

    Li, que tinha 34 anos, havia dito a um grupo de médicos nas mídias sociais chinesas e na plataforma de mensagens WeChat que sete casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) teriam ligação com um mercado de frutos do mar em Wuhan, que seria a fonte do vírus. 

    *Informações da Agência O Globo