Fonte: OpenWeather

    Aviação


    Efeito coronavírus acelera pedido de falência de companhia aérea

    O surto do novo coronavírus fez hoje sua primeira vítima no setor aéreo: a companhia aérea regional Flybe, do Reino Unido, que entrou com pedido de falência.

    Flybe, maior companhia aérea regional independente entrou com pedido de falência
    Flybe, maior companhia aérea regional independente entrou com pedido de falência | Foto: Creative comons

    Londres - O surto do novo coronavírus fez hoje sua primeira vítima no setor aéreo: a companhia aérea regional Flybe, do Reino Unido, que entrou com pedido de falência.

    O processo de colapso da empresa, conforme noticiado em jornais da Europa, se acelerou com a forte queda da demanda por viagens em função da disseminação da covid-19.

    Desde janeiro, a companhia apresentava dificuldades, mas o governo do Reino Unido afastou a possibilidade de qualquer intervenção pública direta na empresa para tentar salvá-la e disse que aprovria um possível financiamento e revisão de impostos locais. Não deu tempo. As empresas passaram a sofrer com falta de passageiros "medrosos" devido ao surto de coronavírus que apavora o mundo.

    O fechamento da empresa causa um problema para o governo britânico. "Todos os voos foram suspensos e os negócios no Reino Unido deixaram de operar imediatamente", comunicou a operadora.

    A empresa é a maior companhia aérea regional independente da Europa.