Fonte: OpenWeather

    Impeachment


    Entenda por que alguns americanos defendem impeachment de Trump

    Impopular entre o eleitorado democrata, pesquisa aponta que 51% defendem a saída de Trump do poder

    Presidente dos Estados, Donald Trump | Foto: Divulgação

    Donald Trump foi inocentado no processo de impeachment no início deste mês. Formado em sua maioria por republicanos, o Senado rejeitou o pedido e inocentou o presidente das acusações, o que já era esperado. Agora, precisamos entender os motivos que levaram alguns americanos a exigirem a saída do presidente. 

    Se, por um lado, os democratas buscaram manchar a imagem de Trump em pleno  ano de eleição, por outro, eles correm o risco de terem feito uma “campanha inversa” para a reeleição do republicano. Isso porque Donald Trump soube usar muito bem o processo para se promover entre seus apoiadores. 

    Resumo do processo de impeachment

    O processo de impeachment contra Donald Trump foi aberto no fim de setembro de 2019, pela presidente da Câmara dos Deputados, a democrata Nancy Pelosi. Ocupada pela maioria democrata, a Câmara aprovou o pedido e o processo seguiu para a votação no Senado.

    A acusação era de que o presidente havia pressionado o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenski, para que ele investigasse Joe Biden, um dos pré-candidatos às eleições deste ano pelo Partido Democrata. 

    Também havia a denúncia de que a Casa Branca teria agido para encobrir os registros da ligação telefônica que comprovava a intimidação de Trump ao chefe de Estado. 

    Na conversa, Trump pede a Zelenski que ele trabalhe junto ao procurador-geral dos EUA, William Barr, e seu advogado pessoal, Rudy Giuliani, para investigar Joe Biden e seu filho, que faziam parte do conselho de uma empresa de gás natural na Ucrânia, no período em que Barack Obama era presidente dos Estados Unidos. 

    Após a conversa, o presidente americano elogiou Zelenski publicamente. Atendendo aos pedidos do ucraniano, Trump seguiu ajudando financeiramente o país do Leste Europeu, que trava um conflito com a Rússia nos últimos anos.

    Se o impeachment tivesse sido aprovado, Trump teria sido deposto por abuso de poder. Como se notou, diferentemente do Brasil, nos Estados Unidos, um presidente não precisa se licenciar do cargo durante um processo de impeachment, o que foi benéfico para Trump dentro de sua estratégia. 

    Mais da metade dos americanos apoiaram o impeachment

    Uma pesquisa da rede de TV norte-americana Fox News alardeou o apoio da população ao impeachment de Donald Trump. Os dados pegaram de surpresa o próprio presidente, já que a emissora tem caráter conservador. 

    Em comparação com uma pesquisa realizada em julho de 2019, o número de apoiadores do impeachment cresceu em quase 10%. O crescimento ocorreu principalmente entre os eleitores democratas. O número de eleitores da base de Trump que apoiaram o impeachment também cresceu no período. 

    De acordo com a pesquisa da Fox News e os apontamentos de comentaristas de outras emissoras americanas como a CNN, Trump está perdendo parte do eleitorado conservador, público mais fiel que o levou à presidência em 2016. 

    Trump tem a aprovação de 94% dos republicanos 

    De acordo com a emissora BBC, Trump tem o apoio de 94% dos republicanos. Isso se refletiu na votação do impeachment no Senado. Dos 53 senadores republicanos, apenas 1 votou a favor do impeachment. 

    Nem na época das eleições de 2016, Trump tinha um apoio tão maciço dos republicanos. Segundo a pesquisa de opinião da Gallup, 89% do eleitorado republicano aprovou o terceiro ano de governo de Trump. Isso o fortalece perante o eleitorado e pode ser uma mola impulsora de uma possível reeleição neste ano.

    Por outro lado, o atual presidente nunca foi tão impopular entre os democratas e os eleitores independentes. Entre os cientistas políticos, há ainda uma indefinição da influência do impeachment nas próximas eleições. 

    O fato é que mesmo impopular entre os democratas, Trump aproveitou para se fortalecer entre os republicanos, principalmente após as prévias confusas do Partido Democratas à presidência. O certo é que os democratas não conseguiram capitalizar como gostariam o processo de impeachment. 

    *Com informações da assessoria