Fonte: OpenWeather

    CORONAVÍRUS


    Brasileiros dormem em aeroporto da Europa após cancelamento de voos

    Crianças, idosos e pessoas com deficiência fazem parte de um grupo de mais de 200 brasileiros que estão em Portugal e tiveram voos para o Brasil cancelados. Empresas cobram quase R$ 10 mil por novos voos

    Idosos, crianças e pessoas com deficiência fazem parte do grupo | Foto: Reprodução

    Manaus e Porto - Mais de 200 brasileiros estão desde terça-feira (16) na frente do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, Portugal. Após terem voos para o Brasil cancelados, a maioria dos brasileiros tem dormido na frente do aeroporto, feito as refeições e usado o banheiro de estabelecimentos no entorno do local. Crianças, idosos e deficientes fazem parte do grupo.

    No meio da pandemia de coronavírus que assola o mundo, companhias aéreas como TAP Air Portugal, Ibéria, Azul, Latam e outras empresas cancelaram voos e cobram quase R$ 10 mil em apenas uma passagem de volta para o Brasil. A Direção-Geral da Saúde de Portugal somou 785 casos de pacientes com Covid-19 no País até esta quinta-feira (19). Na quarta, o governo português declarou Estado de Emergência. 

    A empresária amazonense Andreia Medeiros, 47, conseguiu embarcar para o Brasil na noite desta quinta pela companhia aérea Azul.

    "Estávamos eu, mais três adultos e uma criança de três anos há três dias na frente do Aeroporto de Lisboa. Tivemos nossos voos cancelados e não nos deram qualquer auxílio. Não podíamos nem ficar dentro do aeroporto. Nós dormimos na frente dele ou no estacionamento. A polícia portuguesa já tentou nos tirar da frente do aeroporto, mas quando eles saem, voltamos porque não temos para onde ir", conta Andreia.

    Ela mora em Manaus, mas precisou comprar uma passagem com destino a São Paulo, um dos únicos destinos possíveis saindo do Aeroporto de Lisboa. Andreia concedeu a entrevista enquanto embarcava de volta para o Brasil, depois de tentar por dias. 

    "Acabei de entrar no avião. Minha irmã é diabética e passou mal, já. Quando perguntamos da TAP o motivo do cancelamento, apenas disseram que era por causa do coronavírus e que eles não tinham culpa. Não nos colocaram em um hotel, nem forneceram alimentação. Só nos deixaram desolados", conta a brasileira, que gravou vídeos do desespero e postou nas redes sociais. 

    Andreia Medeiros em uma rede social | Autor: Reprodução
     

    Valores absurdos 

    O empresário Igor Lacerda, de 34 anos, e a jornalista Arysa Cavalcante, de 32 anos, estão em Portugal desde o dia 14 de março, mas já faziam um tour pela Europa desde o dia 3 de março, quando a pandemia do coronavírus ainda não estava no ápice. A passagem de volta do casal para o Brasil estava marcada para o dia 19 de março, pela Air Europe. Na tentativa de retornar ao país de origem, conseguiram remarcar a passagem para o dia 17 de março, mas quando chegaram no aeroporto, o voo havia "sumido".

    "O voo tinha escala em Madrid, que está em quarentena. Nosso desespero foi grande e tivemos que comprar uma nova passagem para o Brasil, agora pela TAP Air Portugal. Somados, os bilhetes da minha esposa e o meu somaram R$ 14.599,62: um roubo", conta Igor. A passagem era de Lisboa para Salvador (Bahia), onde eles moram.

    Passagem do casal Igor Lacerda, de 34 anos, e Arysa Cavalcante
    Passagem do casal Igor Lacerda, de 34 anos, e Arysa Cavalcante | Foto: Reprodução

    Como se não bastasse, a passagem que custou o valor de uma moto zero quilômetro (até mais) foi cancelada em cima da hora.

    "Compramos uma passagem fantasma porque de que adiantou pagar um valor altíssimo e não teve voo? Tivemos que remarcar para o dia 21 de março agora, e a TAP ainda nos cobrou mais R$ 3 mil para mudar a data das duas passagens de voos que eles mesmos cancelaram", conta Igor, indignado. 

    Ele e a esposa alugaram um local para ficar até domingo (22) através do aplicativo de hospedagem Airbnb, mas estão com medo de terem o novo voo cancelado.

    "A nossa sorte é que nos preparamos financeiramente, mas já estamos com um prejuízo de mais de R$ 17 mil. Estamos nos valendo do que ainda sobrou e de cartão de crédito", comenta Igor. 

    Quem também sofreu com a situação foi Diego Rocha, 32, de Recife (PE). Ele também estava em viagem pela Europa antes do coronavírus se tornar uma pandemia e estava com volta para o Brasil marcada para o dia 18 de março pela TAP Air Portugal, mas teve seu voo cancelado em cima da hora. 

    "Eu havia pagado R$ 1.680 nessa primeira passagem e ela foi cancelada. Ao invés de a TAP remarcar a data, simplesmente nos abandonou. Eu tive que comprar uma outra passagem pela companhia Azul, que me custou R$ 8 mil", conta ele. 

    Alguns dos voos da TAP Air Portugal cancelados
    Alguns dos voos da TAP Air Portugal cancelados | Foto: Reprodução

    Diogo embarcou na noite desta quinta-feira (19) para Campinas (SP), apesar de morar em Recife. De São Paulo, ele ainda terá que comprar mais uma passagem para a cidade em que vive. 

    Ainda há pelo menos 120 brasileiros no Aeroporto de Lisboa que aguardam posições das companhias aéreas para retornar ao Brasil. Grande parte teve voos cancelados e agora eles tentam comprar novas passagens, as quais são limitadas a São Paulo ou Rio de Janeiro, fazendo com que, quem não more nessas cidades, precise comprar outras passagens para chegarem aos destinos finais.

    Idosos e pessoas com deficiência

    A supervisora de operações Juliana Braga, 33, e o pai dela, o aposentado Evangel Vale, de 58 anos, tiveram o voo de volta para o Brasil cancelado. Eles estão na Europa desde o dia 11 de março e iam voltar para o Brasil no dia 25 de março, mas o voo foi cancelado.

    "Meu pai é cego. Nós fizemos essa viagem em comemoração ao nosso aniversário. O meu foi no dia 11 e do meu pai no dia 13. Agora não conseguimos voltar para o Brasil e uma nova passagem para os dois está por volta de R$ 18 mil", conta Juliana.

    Juliana Braga e o pai, Evangel Vale
    Juliana Braga e o pai, Evangel Vale | Foto: Reprodução

    Ela e o pai estão em um quarto de hotel, mas a estadia só vai até esta sexta(20). "Amanhã vamos procurar para onde ir, o que fazer. Fomos no aeroporto na segunda agora e haviam filas imensas. Pior, grupos de risco para o coronavírus, como idosos, estavam misturados com todos. Não tinha fila prioritária", conta a brasileira. 

    Soluções e incertezas

    A empresa TAP Air Portugal cancelou 57 voos, segundo lista divulgada pela própria empresa. Em seu site, a companhia aérea aconselha todos os passageiros com voos cancelados a remarcarem a passagem e informa que novos voos com destino a São Paulo sairão três vezes por semana, de 23 de março a 19 de abril. A empresa não diz se passageiros podem reaver qualquer reembolso com estadia e alimentação decorrentes dos cancelamentos de voos. 

    A TAP diz também que passageiros não devem se dirigir ao Aeroporto de Lisboa ou Porto, caso o voo tenha sido cancelado, pois só serão atendidos os clientes que tenham voos marcados no próprio dia.

    Voos da TAP Air Portugal para América com previsão de viagem para 23 de março a 19 de abril
    Voos da TAP Air Portugal para América com previsão de viagem para 23 de março a 19 de abril | Foto: Reprodução

    Sem respostas 

    O portal EM TEMPO entrou em contato com a TAP Air Portugal para saber quais medidas estavam sendo tomadas para auxiliar os brasileiros no Aeroporto de Lisboa, bem como se estes teriam algum ressarcimento pelos valores que gastaram com comida e estadia após o cancelamentos dos voos. No entanto, até o fechamento desta reportagem, a empresa não retornou o pedido de respostas. 

    A Embaixada do Brasil em Lisboa anunciou nesta quinta-feira (19) através das redes sociais que está em coordenação com o Consulado brasileiro e com o Itamaraty (Ministério de Relações Exteriores do Brasil), e que já obteve autorização da Agência Nacional de Aviação Civil portuguesa  para a Azul realizar voos Lisboa-Campinas (SP), entre os dias 20 e 21 de março. No entanto, os voos destinam-se a pessoas que já haviam comprado bilhetes pela Azul e desejam antecipar o regresso ao Brasil. 

    Em um post em seu perfil no Facebook, a companhia aérea espanhola Ibéria possibilita que "pessoas que compraram passagens para voar entre 1 de março e 30 de abril podem mudar a data do voo ou receber um bônus de montante pelo valor pago". A empresa não fala nada sobre receber o que pagou integralmente pela passagem no post. 

    O Ministério das Relações Exteriores criou, nesta semana, o Grupo Especial de Crise para auxiliar brasileiros impedidos de retornar ao Brasil devido a pandemia do coronavírus.

    "No momento, os esforços estão concentrados em questões diplomática com autoridades nos diversos países, para abertura excepcional de espaços aéreos, e em entendimentos com companhias aéreas para a realização de voos destinados a repatriar os brasileiros", diz o comunicado à imprensa.