Fonte: OpenWeather

    Desenhista


    Morre Albert Uderzo, um dos criadores de Asterix e Obelix

    Desenhista de 92 anos teve crise cardíaca, sem relação com coronavírus

    | Foto: Divulgação

    Morreu o desenhista Albert Uderzo, criador de Asterix e Obelix ao lado de René Goscinny. O anúncio foi feito pela família nesta terça-feira (24). Uderzo tinha 92 anos e sofreu um ataque cardíaco.

    "Albert Uderzo morreu enquanto dormia em sua residência de Neuilly (nas proximidades de Paris) vítima de um ataque cardíaco, sem relação com o coronavírus. Estava muito cansado há várias semanas", afirmou à AFP seu genro, Bernard de Choisy.

    Genial e modesto, Uderzo criou com Goscinny os quadrinhos de Asterix e Obelix em 1959. Seis décadas mais tarde, 370 milhões de exemplares já haviam sido vendidos em todo o mundo, traduzidos para 111 idiomas e dialetos. Ao lado de Goscinny, que morreu em 1977 aos 51 anos, Uderzo publicou 24 álbuns. Durante muito tempo, Uderzo foi contra a criação de novas histórias após a morte do amigo, mas acabou mudando de ideia. Em 2011, ele passou o bastão a autores mais jovens, supervisionando o trabalho.

    Nascido na pequena cidade de Fismes em 25 de abril de 1927, Albert Uderzo era filho de imigrantes italianos. Em 1929, a família se mudou para um subúrbio de Paris. O encontro com René Goscinny, filho de um polonês e uma ucraniana, aconteceu em 1951. Após outros personagens, como o Oumpah-pah, os dois filhos de imigrantes criaram Asterix, herói que virou símbolo da identidade francesa. Apesar do protagonismo do baixinho, ele dizia que Obelix, o gorducho escudeiro do galês, era o seu favorito.

    Asterix apareceu pela primeira vez em "Asterix, o gaulês". Publicada originalmente em diversas edições da revista "Pilote", a história foi lançada como álbum em 1961. Na trama, Asterix e Obelix são moradores de um vilarejo na Gália, antiga região francesa, que resiste à ocupação romana em 50 a.C. A resistência ao império é possível graças a uma poção mágica feita pelo druida Panoramix, que concede aos moradores uma superforça. Na primeira história da saga, Panoramix é capturado por um centurião romano e Asterix parte para seu resgate.

    Assim como uma de suas referências, Walt Disney, Uderzo conseguiu expandir o universo de suas criações para além das páginas dos quadrinhos. No cinema, Asterix ganhou dez animações, a primeira em 1967 e a mais recente em 2018. O personagem também rendeu quatro adaptações live-action, a partir de 1999 com "Asterix e Obelix contra César". Nos quatro filmes, Gérard Depardieu viveu Obelix. No total, os longas venderam mais de 71 milhões de ingressos ao redor do mundo. Em 1989, Asterix ganhou um parque temático em Plailly, nos arredores de Paris.

    Em 1953, Uderzo se casou com Ada Milani, com quem teve uma filha, Sylvie. Décadas depois, a filha moveria uma longa batalha judicial contra ele. Sócia da editora Albert René, fundada pelo pai em 1979, ela não aceitava a venda das participações de Uderzo e de Anne Goscinny (herdeira de René) à Hachette, gigante do mercado editorial. Em 2014, pai e filha anunciaram em um comunicado que haviam se reconciliado apesar das divergências na Justiça.