Crime contra a infância


Menino de 6 anos mantido em armário morreu de fome, aponta laudo

Segundo o laudo, que foi divulgado nesta terça-feira, 9 de junho, o garoto morreu de fome. O médico legista, responsável pelo relatório, escreveu que o menino apresentava um “estado de fome que não sustentava a vida”. Pais e avó foram presos.

Segundo o que foi divulgado pelo portal Daily Mail, o garoto, que pesava apenas 8kg, foi encontrado desacordado na casa que morava no dia 2 de março.
Segundo o que foi divulgado pelo portal Daily Mail, o garoto, que pesava apenas 8kg, foi encontrado desacordado na casa que morava no dia 2 de março. | Foto: Reprodução

A polícia do Colorado, nos Estados Unidos, revelou, nesta terça-feira (9), a autópsia do menino Deshaun Martínez, criança de seis anos que morreu em março. As condições em que foi encontrado chocou a opinião pública americana.

Segundo o laudo, o garoto morreu de fome. O médico legista, responsável pelo relatório,  escreveu que o menino apresentava um “estado que não sustentava a vida”. O laudo apontava ainda que o menino tinha aparência “esquelética”, com quase zero de gordura corporal e cabelos quebradiços.

Segundo o que foi divulgado pelo portal Daily Mail, o garoto, que pesava apenas oito kg, foi encontrado desacordado na casa que morava, no dia 2 de março.

As investigações da polícia nos Estados Unidos apontam que Deshaun e o irmão de sete anos eram mantidos em um armário por 16 horas por dia, havia um mês, e recebiam pouca comida diariamente.

Qual era o motivo do castigo?

 De acordo com a polícia, os pais puniam os garotos  porque eles estariam“roubando” comida enquanto a família dormia. Os meninos eram mantidos presos das 20h às 12h do dia seguinte, quando comiam aveia. Quatro horas depois, eles recebiam um sanduíche de queijo.

O casal ainda tem duas meninas mais novas, com quatro e dois  anos, mas essas não apresentavam sinais de desnutrição.

Os pais do menino, Elizabeth Archibeque, 26, e Anthony Martinez, 23, e sua avó, Ann Martinez, 50, foram detidos acusados de assassinato, sequestro e abuso infantil. Os três, no entanto, se declararam inocentes perante à justiça. 

O histórico médico de Deshaun aponta que ele tinha problemas para ganhar peso desde bebê. A mãe do menino alega que ele era alimentado, mas ganhava pouco peso. Já o pai diz que a família estava com orçamento limitado e aguardava vale-refeição para comprar mais alimentos gordurosos para o menino.

Promotores têm até o final de julho para decidir se pedirão pena de morte aos acusados, pena máxima que é dada nos Estados Unidos para crimes como esses, que revelam crueldade. 

Leia mais:

"Minha neta dizia que era um anjo", diz avô de menina afogada em praia

Tragédia: criança de três anos morre afogada na praia da Ponta das Lages

Vídeo: capturado em Manaus homem que filmou agressão ao próprio filho