Fonte: OpenWeather

    Terremoto


    Vídeo: Terremoto no México deixa 5 mortos; EUA emite alerta de tsunami

    Abalo, com epicentro no estado mexicano de Oaxaca, foi de magnitude 7,4, segundo o Serviço Geológico dos EUA

    O impacto do tremor foi sentido na Cidade do México, onde as pessoas foram para as ruas
    O impacto do tremor foi sentido na Cidade do México, onde as pessoas foram para as ruas | Foto: Divulgação

    Cinco pessoas morreram no estado de Oaxaca por causa do terremoto ocorrido nesta terça-feira (23) no México, segundo informou a Defesa Civil do país. Mais cedo, os Estados Unidos emitiram um alerta de tsunami para as costas do México e de nações da América Latina devido ao abalo, cujo epicentro foi no estado de Oaxaca, no Sul do país.

    Segundo o Centro de Alerta e Tsunami do Pacífico dos Estados Unidos, “ondas perigosas” de até três metros poderiam atingir a costa sul do México. Já à costa do Equador podem chegar ondas de até um metro. No caso de Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Havaí e Peru, as ondas podem chegar a meio metro.

    O órgão ainda informou que as tsunamis incluem várias ondas que podem chegar em intervalos de até uma hora. "A onda inicial pode não ser a maior", afirmou o centro. “O perigo pode permanecer por muitas horas ou mais após a onda inicial."

    Relatos e vídeos em redes sociais mostram que o mar na costa de Oaxaca começou a recuar após o terremoto, e depois o serviço sismológico do México informou que o mar subiu 60 centímetros na praia de Huatulco, destino popular entre turistas. A defesa civil mexicana recomendou que os moradores se mantenham afastados da orla.

    O terremoto teve magnitude de 7,4 graus, com epicentro a 26 quilômetros de profundidade, segundo o Serviço Geológico dos EUA. Nas seis horas seguintes foram registradas mais de 400 réplicas, a mais forte com 4,6 graus.

    Na região central da Cidade do México, prédios balançaram e centenas de pessoas deixaram suas casas, correndo para as ruas em pânico.

    O presidente do México, Andrés Manuel Lopez Obrador, disse que ainda não há relatos preliminares sobre danos, e acrescentou estar aguardando relatórios de Oaxaca. Moradores relataram momentos de medo. Segundo Alberto Ibanez, um fotógrafo que estava na cidade de Oaxaca, o terremoto deixou uma rachadura em uma parede de seu apartamento, além de ter derrubado livros e panelas das prateleiras.

    — Todo mundo fugiu para a rua, foi muito forte — contou.

    Tremores com magnitude acima de 7 graus são considerados terremotos de grande intensidade, capazes de causar grandes estragos. Um tremor de 7,1 graus que atingiu a região central do México em 2017 matou 355 pessoas na capital e em estados vizinhos.

    O México fica em uma região de alta atividade sísmica. Um dos tremores mais devastadores, de 8,1 pontos na escala Richter, ocorreu em 1985 e deixou mais de 10 mil mortos, a maioria na Cidade do México.

    Fuga sem máscara

    O tremor desta terça se somou à tensão causada pela pandemia do novo coronavírus. Na capital, o alerta sísmico soou antes que o tremor fosse perceptível, fazendo com que várias pessoas fossem para a rua sem máscaras de proteção contra o novo coronavírus.

    — Quantos problemas com o vírus, e agora os tremores. Um filho acabou de morrer e outro está doente — disse chorando María Teresa Durán, de 80 anos, no bairro Del Valle, centro da cidade.

    O fenômeno surpreendeu também vários moradores da capital que por conta da pandemia trabalham em casa.

    — Estávamos trabalhando de pijama, terminando o café da manhã e tivemos que sair assim — disse Sonia Flores Cano, de 29 anos.

    Funcionários evacuaram os hospitais da capital juntamente com alguns pacientes, que chegaram a sair com soro nos braços ou em cadeiras de rodas. Os pacientes com COVID-19 permaneceram isolados.

    — O andar em que temos pacientes com COVID não foram evacuados. Eles estão dentro, estão isolados, e é o procedimento que temos — afirmou Gustavo Hernández, diretor de operações de um hospital localizado no bairro Roma, centro da capital.

    Em abril, o governo mexicano instruiu que, em caso de terremoto, a população se deslocasse para zonas de menor risco, mas mantendo uma "certa distância", para reduzir a probabilidade de contágios em plena pandemia.

    Até o momento, o México registra 185.122 casos confirmados e 22.584 mortos, para cerca de 127 milhões de habitantes.

    Leia mais:

    Motociclista faz "cavalinho de pau" e passageira morre, em Manaus

    Motorista de app perde controle de carro e derruba postes na Torquato

    Carro bate em árvore e vítima fica presa às ferragens

    *Com informações do O Globo