Mistério


Mulher afirma que deu à luz 1h depois de descobrir que estava grávida

Outro mistério é que a mulher e seu marido Erik não estavam mantendo relações sexuais há 19 meses

O que surpreende no episódio é que a mulher não só estava totalmente alheia à gravidez, como também não fazia sexo há 19 meses | Foto: Reprodução

O que surpreende no episódio é que a mulher não só estava totalmente alheia à gravidez, como também não fazia sexo há 19 meses
O que surpreende no episódio é que a mulher não só estava totalmente alheia à gravidez, como também não fazia sexo há 19 meses | Foto: Reprodução

A história de Heni Nuraeni, de 30 anos, foi a mais comentada em seu país, a Indonésia, depois que revelou ter dado à luz um filho no último dia 18 de julho, após uma gravidez que durou, de acordo com ela, apenas 1 hora.

Conforme Heni, que vive em uma vila chamada Mandalasari, na noite daquele sábado ela percebeu que sua barriga começou a crescer enquanto sentia cólicas dolorosas. Sendo mãe de dois filhos, ela imediatamente percebeu que estava em trabalho de parto.

"Sem sexo há 19 meses"

O que surpreende no episódio é que a mulher não só estava totalmente alheia à gravidez, como também não fazia sexo há 19 meses.

Um parto-surpresa

Heni relembra que estava tudo em ordem: "de repente, senti algo se movendo no lado direito do meu abdômen e as cólicas começaram. Pedi a um vizinho que me levasse à casa de meu pai e, cerca de 1 hora depois, ligamos para uma parteira, e eu dei à luz".

Barriga não cresceu e o ciclo menstrual continuou normalmente

Embora ela reconheça que engordou um pouco nos meses que antecederam o parto, Heni afirma que não experimentou nenhum dos sintomas que teve nas duas gravidezes anteriores. Diz que não sentiu enjoos matinais nem crescimento da barriga e, o que é mais surpreendente, seu ciclo menstrual continuou normalmente, o que os médicos atribuem a um desequilíbrio hormonal.

"Gravidez sem sexo"

Finalmente, o que torna a história ainda mais incomum é o fato de Heni e seu marido Erik não estarem mantendo relações sexuais há 19 meses, por motivos médicos, depois que o seu segundo filho nasceu. Essa situação foi confirmada por Zalkap Drasman, administrador do subdistrito de Puspahiang.

Não fosse pelo detalhe da abstinência sexual, os médicos poderiam diagnosticar o fato como um caso de “gravidez enigmática”, um fenômeno pelo qual as mulheres não se tornam conscientes de sua gravidez até as últimas semanas da gestação e, em alguns casos, até entrarem em trabalho de parto.

O fato de Heni e Erik reafirmarem a ausência de qualquer contato íntimo tem atraído uma multidão de curiosos e especialistas à pequena vila para testemunhar o que está sendo chamado de "parto milagroso".

*Com informações do Mega Curioso

Leia Mais

É possível engravidar com sexo anal?

Mãe esperava trigêmeas e foi surpreendida com mais um bebê no parto