Prêmio


Cientistas que descobriram vírus da hepatite C levam Nobel de Medicina

Harvey J. Alter, Michael Houghton e Charles M. Rice foram os premiados pela Academia Sueca

O Nobel de Medicina é o primeiro a ser anunciado a cada ano
O Nobel de Medicina é o primeiro a ser anunciado a cada ano | Foto: Divulgação

Dois cientistas norte-americanos e um britânico venceram o Prêmio Nobel de Medicina de 2020 pelo trabalho na identificação do vírus da Hepatite C, que causa cirrose e câncer de fígado, anunciou o órgão que concede o prêmio nesta segunda-feira (5).

As descobertas dos cientistas Harvey Alter, Charles Rice e do britânico Michael Houghton significaram que agora existe uma chance de erradicar o vírus da Hepatite C completamente, disse o comitê.

"Antes do trabalho deles, a descoberta dos vírus das hepatites A e B foram passos críticos adiante", disse a Assembleia do Nobel do Instituto Karolinska, da Suécia, em comunicado sobre o prêmio de 10 milhões de coroas suecas (US$ 1,1 milhão).

"A descoberta do vírus da Hepatite C revelou a causa dos casos remanescentes de hepatite crônica e tornou possível testes sanguíneos e novos medicamentos que salvaram milhões de vidas."

Embora os prêmios Nobel estejam sendo concedidos normalmente neste ano, eles foram ofuscados pela pandemia do novo coronavírus.

A Fundação Nobel cancelou o tradicional banquete, que é a parte central das comemorações em dezembro, e entregará as medalhas e os diplomas em um evento televisivo, em vez de ao vivo em Estocolmo.

Os vencedores deste ano serão convidados para comemorar juntamente com os que vencerem em 2021, considerando que a pandemia tenha arrefecido até lá.

O Nobel de Medicina é o primeiro a ser anunciado a cada ano. Prêmios também são concedidos nas áreas de Ciência, Paz e Literatura desde 1901 e foram criados pelo empresário e inventor da dinamite Alfred Nobel.

Leia mais 

Ganhadores de Nobel pedem que vacinas sejam para todos

Nobel de Economia premia trio pelo combate à pobreza no mundo

Primeiro-ministro etíope ganha o Prêmio Nobel da Paz de 2019