Clima


Setembro foi o mês mais quente da história, diz centro de meteorologia

2020 ainda pode bater recordes de temperatura e se tornar o ano mais quente já registrado, superando 2016

| Foto: Divulgação

O mês de setembro de 2020 foi o mais quente registrado na história mundial, anunciou nesta quarta-feira, 7, o Serviço de Mudança Climática Copérnico, da União Europeia. Segundo a instituição, este ano pode bater os recordes de temperatura e se tornar o mais quente já registrado, superando 2016. 

O período de doze meses que vai de outubro de 2019 a setembro de 2020 se situa a 1,28 ºC acima das temperaturas da era pré-industrial, aproximando o planeta do teto de 1,5 ºC, objetivo mais ambicioso do Acordo de Paris, que tenta limitar os impactos devastadores das mudanças climáticas.

O anúncio foi feito após nove meses de grandes incêndios e da maior temporada de furacões ativos desde 2005, ao mesmo tempo em que o Oceano Ártico atingiu o segundo menor nível da história. Especialistas preveem que em 2050 o Oceano Ártico poderá derreter completamente durante o verão. 

Os registros do serviço europeu começaram a ser feitos em 1979, com médias calculadas utilizando dados que abrangem de 1981 a 2010. 

Segundo a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA), há 99,9% de chance de 2020 entrar no ranking dos cinco anos mais quentes já registrados.

*Com informações do Estadão

Leia mais:

Incêndio assusta trabalhadores de fábrica de juta em Manaus

AM gasta R$1,6 milhão com vítimas de acidentes de trânsito em 2020