Fonte: OpenWeather

    Eleição


    Para nova Constituição, urnas abrem no Chile para plebiscito histórico

    Este é um momento importante na história do país que anseia por mudanças

    Os eleitores têm 12 horas, a partir das 8h locais (mesmo horário de Brasília) para votarem
    Os eleitores têm 12 horas, a partir das 8h locais (mesmo horário de Brasília) para votarem | Foto: Ivan Alvarado

    As urnas abriram no Chile neste domingo (25) para um plebiscito histórico sobre se a Constituição do país. As leis que vinham da era do ditador Augusto Pinochet serão descartadas e substituídas por uma nova Carta a ser formulada, uma das principais reivindicações dos protestos que tomaram conta do país no ano de 2019.

    Os eleitores têm 12 horas, a partir das 8h locais (mesmo horário de Brasília) para votarem. Mais de 14,8 milhões de pessoas podem votar em 2.715 locais em todo o país, embora os que sofrem de Covid-19 tenham sido alertados para se manterem distantes sob ameaça de prisão.

    Os chilenos decidirão se aprovam ou rejeitam uma nova Constituição e se ela deve ser elaborada por um grupo especial eleito pelos cidadãos, composto por metade de homens e metade de mulheres, com representantes indígenas, ou se por uma mistura de cidadãos e parlamentares.

    É necessário maioria simples para vencer. As pesquisas de opinião sugerem que uma nova Constituição será aprovada por ampla margem.

    Entre os primeiros a votar estava o presidente do Chile, Sebastián Piñera. Sua taxa de aprovação caiu para um patamar recorde de baixa em meio aos protestos e se manteve claudicante durante a pandemia.

    *Via Agência Brasil

    Leia mais:

    Tribunal aceita denúncia e governador de Santa Catarina é afastado

    Após 351 anos, Manaus busca o prefeito ideal