Inclusão


Mãe cria bonecos inclusivos para ajudar crianças com deficiência

Desde a criação dos brinquedos inclusivos, mais de 2.000 bonecos foram vendidos. A ideia é levar representatividade para crianças com deficiência

A ideia veio a partir da filha de 4 anos, Clate Matilda, que é surda e não se identificava com as bonecas normais
A ideia veio a partir da filha de 4 anos, Clate Matilda, que é surda e não se identificava com as bonecas normais | Foto: Reprodução

Mãe de dois filhos, uma mulher chamada Clare Tawell decidiu criar bonecas inclusivas após ver que não existia bonecas ou qualquer outro brinquedo que acompanhava aparelhos auditivos ou com doenças congênitas. A ideia veio a partir da filha de 4 anos, Clate Matilda, que é surda, não se identificava com as bonecas normais. 

A técnica de radiação médica, no Reino Unido, começou a produzir bonecos de bebês e elfos adaptados à deficiência pra promover a inclusão. Rapidamente outros pais de crianças surdas souberam da novidade e começaram a fazer pedidos de mais bonecos personalizados. Desde então, Clare criou uma organização sem fins lucrativos – a Bright Ears UK – e vendeu mais de 2.000 bonecos. 

| Foto: Reprodução

A organização cresceu tanto que Clare expandiu a coleção para incluir brinquedos com fenda palatina, tubos de alimentação, bombas de insulina, respiradores, cirurgias cardíacas, e entre outros.

Com a repercussão, algumas escolas começaram a comprar as bonecas pra ensinar os alunos sobre inclusão. Clare explica que a ideia de ver brinquedos adaptados no mercado pode abrir espaço para a compreensão e consciência das diferenças.

“Eu adoraria que as crianças no futuro pudessem entrar em uma loja e ver bonecas com aparelhos auditivos e fissura labial ao lado das bonecas comuns, porque isso torna tudo normal, não diferente”, explicou Clare.

| Foto: Reprodução

Pra pedir uma boneca customizada, você pode adquiri-la pelo Facebook ou pela loja Etsy

*Com informações do site Só Notícia Boa

Leia mais: 

Governador entrega 430 ferramentas para pacientes com deficiência

Tim abre 300 vagas de estágio com foco em diversidade e inclusão