Descoberta Arqueológica


Sarcófagos de mais de 2 mil anos entram em exposição no Egito

59 caixões foram desenterrados em agosto no mesmo sítio da Unesco. Mais tesouros devem ser encontrados no local, afirmou o secretário-geral do conselho supremo de antiguidades, Waziri

Os pesquisadores acreditam que mais descobertas serão feitas na localidade
Os pesquisadores acreditam que mais descobertas serão feitas na localidade | Foto: Mohamed Hossam /EFE/EPA

O Egito expôs neste sábado (14), mais de 100 caixões com 2.500 anos de idade, a mais recente e maior descoberta de 2020 no vasto cemitério da Necrópole de Saqqara. Os caixões pertencem à sexta dinastia egípcia. 

Selados elegantemente, pintados e bem preservados. Os sarcófagos tem muito mais qualidade do que as descobertas anteriores no local, afirmou o secretário-geral do conselho supremo de antiguidades, Mostafa Waziri, sugerindo que eles pertenciam a uma família de escalão superior.

Os caixões recém-descobertos, assim como múmias e artefatos associados, serão exibidos no Grande Museu Egípcio, que deve ser aberto no próximo ano.

Segundo os arqueólogos envolvidos na grande descoberta, os caixões foram revelados em agosto no sul do Cairo. Eles estavam localizados em três poços de 12 metros acompanhados por 28 estatuetas do deus Seker, relevante figura no ritual de morte.

*Com informações do R7

Leia mais:

Sarcófago milenar é aberto e turistas se impressionam; veja vídeo 

Pesquisadores descobrem verme em inseto que pode causar cegueira 

Planeta do tamanho da Terra é descoberto vagando pela Via Láctea