Fonte: OpenWeather

    Pandemia


    Presidente do Chile apresenta denúncia contra si mesmo: saiba o motivo

    Uso do equipamento é obrigatório em locais públicos no país; com aumento de casos de Covid-19, governo anuncia quarentena nos fins de semana na Região Metropolitana de Santiago

    | Foto: Bruna Souza

    O presidente do Chile, Sebastián Piñera, apresentou uma autodenúncia às autoridades sanitárias nesta segunda-feira após ser criticado por caminhar na praia e tirar foto com cidadãos sem utilizar máscara, cujo uso é obrigatório em locais públicos.

    “Ao ser reconhecido pelas pessoas que estavam naquele local, foram solicitadas várias fotos, que ele aceitou sem perceber a necessidade de usar a máscara”, explicou o governo chileno em um breve comunicado.

    Num fim de semana que foi prolongado por causa de um feriado nesta terça-feira, Piñera, como muitos chilenos, foi a uma praia a cerca de 100km da capital.

    O presidente caminhou pelo balneário de Cachagua, a noroeste da capital,  Santiago, sem usar máscara, cujo uso é obrigatório por uma determinação do próprio Poder Executivo para evitar infecções pelo novo coronavírus, que no Chile já contaminou mais de 560 mil pessoas e matou mais de 15 mil desde o início da pandemia.

    Enquanto caminhava, tirou fotos com cidadãos, que publicaram as imagens nas redes sociais, gerando polêmica.

    “Ontem fui passear na praia, o que não fazia desde o ano passado. A caminhada foi bastante solitária até que algumas pessoas me reconheceram e pediram para tirar uma foto”, contou o presidente nas redes sociais. “Sem dúvida, deveria ter posto a máscara, mas pela rapidez com que os acontecimentos ocorreram, não coloquei e foi um erro, que lamento e [pelo qual] peço desculpa."

    Por isso, nesta segunda-feira, Piñera apresentou uma autodenúncia na Secretaria Regional Ministerial (Seremi) “com o objetivo de realizar o procedimento de controle administrativo sanitário correspondente”, segundo a Presidência.

    A legislação especial voltada para a prevenção do contágio do novo coronavírus determina que, nas praias, a distância deve ser de, no mínimo, um metro entre as pessoas, podendo ter grupos formados por apenas cinco pessoas.

    Além disso, só é autorizado ficar sem máscara "quando [o cidadão] não está se mexendo e está a dois metros ou mais de outras pessoas", o que não foi cumprido pelo presidente.