Fonte: OpenWeather

    Pandemia


    Com maior quantidade de leitos, Japão sofre com pandemia da Covid

    Os casos mais do que dobraram nos últimos dois meses, e agora já são mais de 406 mil infectados no Japaão

     

    O governo chegou a creditar as longas taxas de expectativa de vida no país
    O governo chegou a creditar as longas taxas de expectativa de vida no país | Foto: Divulgação

    O sistema nacional de saúde do Japão, que possui o maior número de leitos hospitalares per capita no mundo desenvolvido, foi elogiado no passado por sua alta qualidade de serviço. 

    O governo chegou a creditar as longas taxas de expectativa de vida no país – a mais alta dos países da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) ao seu sistema de saúde acessível de primeira classe.

    Mas a pandemia de Covid-19 levou o sistema ao limite enquanto o país lida com sua pior onda desde o início da pandemia. Os casos mais do que dobraram nos últimos dois meses, e agora já são mais de 406 mil infectados.

    Embora o período de pico da atual onda tenha passado, com casos caindo de mais de 7.000 por dia em janeiro para menos de 3.000 casos diários neste mês, o sistema médico ainda está sob pressão.

    Em 4 de fevereiro, mais de 8.700 pessoas, em 10 regiões, com teste positivo para Covid-19 esperavam por uma cama de hospital ou vaga em um centro de isolamento. Na semana anterior, mais de 18.000 pessoas em 11 regiões estavam na mesma situação, de acordo com as secretarias de saúde regionais.

    Isso significa que as pessoas estão morrendo em casa por causa da Covid-19, lutando sozinhas contra condições deterioradas e espalhando o vírus para seus familiares.

    Saúde universal

    Apesar do rápido aumento de casos no Japão nos últimos meses, o número de infecções e mortes ainda é pequeno em comparação com os dos Estados Unidos, onde os casos diários em média excedem 100 mil.

    Mas especialistas dizem que as expectativas em relação à saúde são diferentes no Japão.

    Desde a década de 1960, o sistema de seguro saúde universal do Japão oferece cobertura a todos os cidadãos japoneses – independentemente de renda ou condições pré-existentes. 

    Para os especialistas, o fácil acesso ao atendimento fez com que muitos pacientes procurassem mais atendimento do que o necessário.

    Falhas no sistema

    Em 2019, havia 13 leitos para cada 1.000 pessoas no Japão, de acordo com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Isso se compara a menos de 3 a cada 1.000 pessoas nos EUA e no Reino Unido. A média da OCDE é 4,7.

    Mas Iwata diz que esses números são enganosos. Embora o Japão tenha mais de um milhão de leitos hospitalares para uma população de cerca de 126 milhões de pessoas, a maioria é para doenças leves. 

    O país tem apenas cerca de 5 leitos de terapia intensiva por 100.000 pessoas, enquanto a Alemanha tem quase 34, o maior número da OCDE, e os EUA tem quase 26.

    *Com informações da CNN