Fonte: OpenWeather

    Interdição


    Rússia impede acessos de navios estrangeiros a trecho do mar Negro

    País disputa com a Ucrânia domínio das áreas habitadas por russos étnicos

     

    Mar banha portos centrais para a exportação de aço e cereais da Ucrânia
    Mar banha portos centrais para a exportação de aço e cereais da Ucrânia | Foto: Yörük Isin

    Em mais um movimento na sua disputa com a Ucrânia sobre o destino das áreas habitadas por russos étnicos no leste do país, Moscou decidiu fechar parte do mar Negro para navios de guerra estrangeiros.

    O anúncio foi feito nesta sexta (16), após a Marinha ucraniana alertar que barcos russos estavam tomando posições próximo à ponte da Crimeia, a gigantesca estrutura que Vladimir Putin construiu para ligar a península anexada em 2014 a seu país.

    "Das 21h do dia 24 de abril às 21h de 31 de outubro, a passagem de navios estrangeiros militares ou estatais estará suspensa", disse o Ministério da Defesa russo.

    Além da Crimeia e da Rússia mais a leste, o mar banha um trecho considerável de costa ucraniana, com portos centrais para a exportação de aço e cereais do país. Kiev teme que esses navios acabem afetados pelas medidas.

    As restrições ocorrerão também em outros pontos em torno da Crimeia, como na cidade de Sebastopol, que já sediava a Frota do Mar Negro russa antes mesmo da anexação, por meio de um acordo.

    Com isso, quer delimitar também a movimentação de navios da Otan (aliança miltiar ocidental), que fazem exercícios frequentes na região em apoio aos ucranianos e em coordenação com os turcos, que controlam a ligação do mar Negro com o Mediterrâneo.

    Para o Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia, a decisão "usurpa a soberania" do país e viola leis internacionais sobre trânsito marítimo.

    * Com informações da Folha de S. Paulo


    Leia Mais:


    Prazo para envio de dados sobre gestão de resíduos encerra neste mês

    Médicos que aplicaram hidroxicloroquina receberam salários indevidos

    Portugal vai retomar voos para o Brasil a partir de segunda-feira