Fonte: OpenWeather

    Ações


    Ex-senador dos EUA pede ações do Brasil em relação ao meio ambiente

    John Kerry, ex-senador norte-americano e atual enviado especial para o Clima do gabinete do presidente Joe Biden, se manifestou nesta sexta (16) sobre a carta enviada pelo presidente Bolsonaro

     

    A carta do presidente Jair Bolsonaro foi enviada na quarta-feira (14)
    A carta do presidente Jair Bolsonaro foi enviada na quarta-feira (14) | Foto: Divulgação

    John Kerry, ex-senador norte-americano e atual enviado especial para o Clima do gabinete do presidente Joe Biden, se manifestou nesta sexta (16) sobre a carta enviada pelo presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que trata do compromisso em cessar o desmatamento ilegal na Amazônia até 2030.

    Em redes sociais, Kerry afirmou que o compromisso de Bolsonaro contra o desmatamento ilegal é importante, e que os Estados Unidos aguardam “ações imediatas e engajadas com a população indígena e com a sociedade civil para que o anúncio tenha resultados tangíveis.”

    A carta do presidente Jair Bolsonaro foi enviada na quarta-feira (14), e definiu metas e compromissos brasileiros em relação ao meio ambiente, bioeconomia, regularização fundiária, zonas ecológico-econômicas e pagamentos por serviços ambientais.

    Para o presidente, é preciso criar alternativas econômicas que reduzam o apelo das atividades ilegais e dar condições para que os 25 milhões de brasileiros que vivem na Amazônia possam prosperar materialmente por seus próprios esforços.

    Nesse sentido, segundo ele, não é possível combater o desmatamento apenas com medidas de fiscalização ou “jamais alcançaremos resultados duradouros no domínio ambiental.”

    “Queremos reafirmar neste ato, em inequívoco apoio aos esforços empreendidos por V. Excelência, o nosso compromisso em eliminar o desmatamento ilegal no Brasil até 2030”, escreveu Bolsonaro na ocasião.

    Leia Mais:

    ONU vai antecipar envio de 4 milhões de doses de vacina ao Brasil

    Governo abre crédito de R$ 2,6 bi para custear UTIs nos estados

    Rússia impede acessos de navios estrangeiros a trecho do mar Negro